Covid-19: SIC prende falsificadoraes de testes

  • Efectivos da Polícia
Cabinda – Um grupo de indivíduos que se dedicava a falsificação de testes de Covid-19 foi detido, na localidade de Cabassango, arredores da cidade de Cabinda, pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) após denúncia de populares.

 Grupo é composto por Faustino José Ngola, João Futi, José Sambo (angolanos) e o cidadão vietnamita  Wel Tantum.

O autor da acção, José Sumbo, explicou que falsificou dois testes com o uso de um computador e um scanner onde reproduziram um teste original de Covid-19.

Os falsos resultados de testes eram vendidso a três  mil kwanzas cada a cidadãos que não quisessem fazer testes rápidos nas instituições oficializadas pelas autoridades sanitárias antes de viajar para outra província.

José Sumbo avançou ainda que tudo era feita no estabelecimento comercial de José Conde vocacionado para serviços de impressão de fotografias, fotocópias de documentos, plastificação de documentos.

Por seu turno, o porta-voz do SIC em Cabinda, Rodrigues Ambrósio, disse que, embora seja o primeiro caso,  é um acto bastante preocupante, quando se assiste, nos últimos dias, a um aumento diário de casos de Covid-19 na província, em especial no município de Cabinda.

Referiu que o SIC vai continuar a trabalhar para que casos desta natureza continuem a registar-se em cabinda.

Nos últimos dias, a província de Cabinda está a registar um aumento de casos positivos de Covid-19 com vínculos epidemiológicos desconhecidos.

A província tem 427 casos positivos, com 256 activos, 91 recuperados e 12 óbitos.

 Grupo é composto por Faustino José Ngola, João Futi, José Sambo (angolanos) e o cidadão vietnamita  Wel Tantum.

O autor da acção, José Sumbo, explicou que falsificou dois testes com o uso de um computador e um scanner onde reproduziram um teste original de Covid-19.

Os falsos resultados de testes eram vendidso a três  mil kwanzas cada a cidadãos que não quisessem fazer testes rápidos nas instituições oficializadas pelas autoridades sanitárias antes de viajar para outra província.

José Sumbo avançou ainda que tudo era feita no estabelecimento comercial de José Conde vocacionado para serviços de impressão de fotografias, fotocópias de documentos, plastificação de documentos.

Por seu turno, o porta-voz do SIC em Cabinda, Rodrigues Ambrósio, disse que, embora seja o primeiro caso,  é um acto bastante preocupante, quando se assiste, nos últimos dias, a um aumento diário de casos de Covid-19 na província, em especial no município de Cabinda.

Referiu que o SIC vai continuar a trabalhar para que casos desta natureza continuem a registar-se em cabinda.

Nos últimos dias, a província de Cabinda está a registar um aumento de casos positivos de Covid-19 com vínculos epidemiológicos desconhecidos.

A província tem 427 casos positivos, com 256 activos, 91 recuperados e 12 óbitos.