Câmara dos Terapeutas aposta na formação de quadros 

Luanda - A Câmara Profissional dos Terapeutas de Medicina Tradicional   Natural,  Alternativa e não Convencional de Angola aposta na formação dos seus quadros,  disse, esta sexta-feira, o  presidente do Conselho Executivo Nacional da Câmara, Kitoko Maiavangua. 

O  responsável, que  falava no encontro metodológico sobre investigação  científica de plantas medicinais angolanas, afirmou existir um acordo entre a câmara e uma escola indiana para a formação de quadros nacionais. 

“Nesse momento temos 10 bolsas de estudos para angolanos se formarem na Índia. Só ainda  não foram até ao momento por conta da situação epidemiológica que assola o mundo”, reforçou. 

Para o próximo ano, prosseguiu, estão disponíveis mais 25 bolsas de estudo.

"Estamos a apostar na medicina natural para que dentro dos próximos anos trabalhe directamente com a convencional na resolução de várias patologias", disse. 

O terapeuta explicou que o país conta com mil e duzentos médicos terapeutas tradicionais inscritos na câmara e 60 mil praticantes da medicina natural, entre as quais parteiras tradicionais. 

O país conta ainda com três escolas de medicina tradicional natural.

O  responsável, que  falava no encontro metodológico sobre investigação  científica de plantas medicinais angolanas, afirmou existir um acordo entre a câmara e uma escola indiana para a formação de quadros nacionais. 

“Nesse momento temos 10 bolsas de estudos para angolanos se formarem na Índia. Só ainda  não foram até ao momento por conta da situação epidemiológica que assola o mundo”, reforçou. 

Para o próximo ano, prosseguiu, estão disponíveis mais 25 bolsas de estudo.

"Estamos a apostar na medicina natural para que dentro dos próximos anos trabalhe directamente com a convencional na resolução de várias patologias", disse. 

O terapeuta explicou que o país conta com mil e duzentos médicos terapeutas tradicionais inscritos na câmara e 60 mil praticantes da medicina natural, entre as quais parteiras tradicionais. 

O país conta ainda com três escolas de medicina tradicional natural.