Covid-19: Angola passa a usar teste de antígeno

  • Secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda
Luanda – A Comissão Multissetorial para a Prevenção e Combate à Covid-19 anunciou, nesta quinta-feira, em Luanda, o início do uso do teste rápido de antígeno, para acelerar o processo de testagem em massa e identificar novos casos no país.

 

De acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, que falava na sessão de actualização diária dos dados da Covid-19 em Angola, o teste de antígeno também é feito com o uso da zaragatoa, mas o seu resultado é obtido em apenas 15 minutos.

Alguns especialistas/virologistas mostram ainda que o teste de antígeno, em determinadas situações, pode ser até melhor do que o RT-PCR (teste de biologia molecular), por, entre vários motivos, identificar quem está com a Covid-19 em apenas 15 minutos, acertando em mais de 90% no diagnóstico.

Em função da sua eficácia e rapidez no diagnóstico da Covid-19, o secretário de Estado avançou que, para além de Luanda, o teste de antígeno também será enviado nas restantes províncias do país, com vista a acelerar o processo do rastreio nas comunidades.

Lembrou ainda que, à semelhança dos outros testes usados em Angola, os cidadãos que pretenderem fazer o teste de antígeno, por iniciativa própria, também terão de pagar o mesmo valor pago no RT-PCR, avaliado em 75 mil kwanzas, nos hospitais públicos, e  170 mil kwanzas, em clínicas privadas.

Com início do uso do teste de antígeno, Angola passa a contar com quatro métodos/opções para confirmar e descartar eventuais casos de covid-19 no país, nomeadamente, o teste de biologia molecular (RT-PCR), considerando o padrão, Sorológico e o de Elisa.

O teste RT-PCR, o exame padrão-ouro para revelar quem está ou não com Covid-19, é feito através de uma zaragatoa introduzida no nariz ou na boca, mas a obtenção do seu resultado pode demorar 24 horas ou mais tempo.

Já o teste rápido Sorológico centra-se na colheita do sangue no dedo indicador, obtendo o resultado em 5 ou 10 minutos, mas serve apenas para aferir se a pessoa entrou em contacto com o vírus e o eliminou (caso reactivo/IGG), através do seu sistema imunológico, ou se ainda continua com a doença no organismo (caso reactivo/IGM).

O resultado desse teste é provisório e, em várias ocasiões, indica falso-positivo ou falso-negativo, sendo necessário recorrer ao teste de biologia molecular para obter o resultado definitivo.

Contrariamente ao teste rápido Sorológico, o Elisa é feito através da colheita do sangue numa das veias do braço, mas o seu resultado pode demorar uma hora.

Clínicas autorizadas a fazer teste de Covid-19

Até ao momento, apenas quatro clínicas privadas estão autorizadas a fazer o teste RT-PCR, designadamente, a clínica Girassol, Multiperfil, Sagrada Esperança e Luanda Medical Center.

Para o teste rápido Sorológico e de Elisa, o Ministério da Saúde credenciou oito clínicas: Girassol, Multiperfil, Sagrada Esperança, Luanda Medical Center, Centralab, Mediague, Cidil e Cligest.

Além dessas clínicas, situadas todas em Luanda, epicentro da Covid-19, os referidos testes também podem ser feitos nas unidades sanitárias de referência do Estado, nomeadamente, Zona Especial Económica (ZEE), Instituto Nacional de Investigação da Saúde (INIS), Instituto Nacional de Luta Contra Sida, Hospital Militar, Américo Boavida e Escola Nacional de Saúde Pública.

Preço dos testes

O preço do teste rápido Sorológico e de Elisa varia de 19 mil a 50 mil kwanzas, enquanto o RT-PCR custa entre 150 mil a 170 mil kwanzas, nas clínicas privadas.

Tendo em conta os custos desses testes, os hospitais públicos também começaram, desde Outubro último, a cobrar os exames de cidadãos que queiram testar por iniciativa própria, praticando um preço subvencionado pelo Estado.

O cidadão que pretende fazer o teste numa das unidades hospitalar pública deve pagar seis mil kwanzas para o teste rápido Sorológico, 20 mil para Elisa e 75 mil para RT-PCR.

 

De acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, que falava na sessão de actualização diária dos dados da Covid-19 em Angola, o teste de antígeno também é feito com o uso da zaragatoa, mas o seu resultado é obtido em apenas 15 minutos.

Alguns especialistas/virologistas mostram ainda que o teste de antígeno, em determinadas situações, pode ser até melhor do que o RT-PCR (teste de biologia molecular), por, entre vários motivos, identificar quem está com a Covid-19 em apenas 15 minutos, acertando em mais de 90% no diagnóstico.

Em função da sua eficácia e rapidez no diagnóstico da Covid-19, o secretário de Estado avançou que, para além de Luanda, o teste de antígeno também será enviado nas restantes províncias do país, com vista a acelerar o processo do rastreio nas comunidades.

Lembrou ainda que, à semelhança dos outros testes usados em Angola, os cidadãos que pretenderem fazer o teste de antígeno, por iniciativa própria, também terão de pagar o mesmo valor pago no RT-PCR, avaliado em 75 mil kwanzas, nos hospitais públicos, e  170 mil kwanzas, em clínicas privadas.

Com início do uso do teste de antígeno, Angola passa a contar com quatro métodos/opções para confirmar e descartar eventuais casos de covid-19 no país, nomeadamente, o teste de biologia molecular (RT-PCR), considerando o padrão, Sorológico e o de Elisa.

O teste RT-PCR, o exame padrão-ouro para revelar quem está ou não com Covid-19, é feito através de uma zaragatoa introduzida no nariz ou na boca, mas a obtenção do seu resultado pode demorar 24 horas ou mais tempo.

Já o teste rápido Sorológico centra-se na colheita do sangue no dedo indicador, obtendo o resultado em 5 ou 10 minutos, mas serve apenas para aferir se a pessoa entrou em contacto com o vírus e o eliminou (caso reactivo/IGG), através do seu sistema imunológico, ou se ainda continua com a doença no organismo (caso reactivo/IGM).

O resultado desse teste é provisório e, em várias ocasiões, indica falso-positivo ou falso-negativo, sendo necessário recorrer ao teste de biologia molecular para obter o resultado definitivo.

Contrariamente ao teste rápido Sorológico, o Elisa é feito através da colheita do sangue numa das veias do braço, mas o seu resultado pode demorar uma hora.

Clínicas autorizadas a fazer teste de Covid-19

Até ao momento, apenas quatro clínicas privadas estão autorizadas a fazer o teste RT-PCR, designadamente, a clínica Girassol, Multiperfil, Sagrada Esperança e Luanda Medical Center.

Para o teste rápido Sorológico e de Elisa, o Ministério da Saúde credenciou oito clínicas: Girassol, Multiperfil, Sagrada Esperança, Luanda Medical Center, Centralab, Mediague, Cidil e Cligest.

Além dessas clínicas, situadas todas em Luanda, epicentro da Covid-19, os referidos testes também podem ser feitos nas unidades sanitárias de referência do Estado, nomeadamente, Zona Especial Económica (ZEE), Instituto Nacional de Investigação da Saúde (INIS), Instituto Nacional de Luta Contra Sida, Hospital Militar, Américo Boavida e Escola Nacional de Saúde Pública.

Preço dos testes

O preço do teste rápido Sorológico e de Elisa varia de 19 mil a 50 mil kwanzas, enquanto o RT-PCR custa entre 150 mil a 170 mil kwanzas, nas clínicas privadas.

Tendo em conta os custos desses testes, os hospitais públicos também começaram, desde Outubro último, a cobrar os exames de cidadãos que queiram testar por iniciativa própria, praticando um preço subvencionado pelo Estado.

O cidadão que pretende fazer o teste numa das unidades hospitalar pública deve pagar seis mil kwanzas para o teste rápido Sorológico, 20 mil para Elisa e 75 mil para RT-PCR.