Covid-19: Bombeiros exortados a ajudar a população

  • Ilustração do Covid-19
Benguela - O comandante provincial da Polícia Nacional em Benguela, comissário Aristófanes dos Santos, exortou hoje, segunda-feira, o efectivo dos Bombeiros a redobrar esforços junto da população, para que esta cumpra rigorosamente as medidas de biossegurança contra a Covid-19.

O oficial comissário, que falava durante uma cerimónia de patenteamento de membros do corpo de Bombeiros, disse que se aproxima a quadra festiva, período susceptível de alguns excessos, pelo que a corporação deve estar preparada para auxiliar a população.

Reafirmou, entretanto, a necessidade do efectivo pautar-se pelo respeito dos direitos dos cidadãos, evitando-se excessos.

Por outro lado, considera ser necessário eliminar-se “certas imprecisões” para haver mais justiça na corporação, referindo-se aos elementos mais sacrificados nas diversas áreas e aqueles que dão a sua vida para salvar a vida de outros.

“É preciso haver equilíbrio porque a razão da nossa existência é o bem-estar do povo”, frisou.

O comandante e seus colaboradores directos patentearam 59 elementos, sendo dois super-intendentes, um inspector-chefe, cinco inspectores, 37 sub-inspectores e 17 sub-chefes.

O Comando Provincial dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros conta com um efectivo de 966 elementos.

Segundo um relatório da corporação referente ao terceiro trimestre deste ano,  a província de Benguela registou neste período vinte incêndios, que causaram um prejuízo estimado em 14 milhões, 44 mil e 750 de Kwanzas, contra os  dezasseis, do período homólogo do ano passado.

O curto-circuito, fogo posto e fuga de gás estiveram na base destes incêndios, afectando maioritariamente residências particulares, estabelecimentos comerciais e meios de transporte.

Houve igualmente outras ocorrências como afogamentos, derrames de combustível, deslize de terras e acidentes de viação.

 

 

 

 

O oficial comissário, que falava durante uma cerimónia de patenteamento de membros do corpo de Bombeiros, disse que se aproxima a quadra festiva, período susceptível de alguns excessos, pelo que a corporação deve estar preparada para auxiliar a população.

Reafirmou, entretanto, a necessidade do efectivo pautar-se pelo respeito dos direitos dos cidadãos, evitando-se excessos.

Por outro lado, considera ser necessário eliminar-se “certas imprecisões” para haver mais justiça na corporação, referindo-se aos elementos mais sacrificados nas diversas áreas e aqueles que dão a sua vida para salvar a vida de outros.

“É preciso haver equilíbrio porque a razão da nossa existência é o bem-estar do povo”, frisou.

O comandante e seus colaboradores directos patentearam 59 elementos, sendo dois super-intendentes, um inspector-chefe, cinco inspectores, 37 sub-inspectores e 17 sub-chefes.

O Comando Provincial dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros conta com um efectivo de 966 elementos.

Segundo um relatório da corporação referente ao terceiro trimestre deste ano,  a província de Benguela registou neste período vinte incêndios, que causaram um prejuízo estimado em 14 milhões, 44 mil e 750 de Kwanzas, contra os  dezasseis, do período homólogo do ano passado.

O curto-circuito, fogo posto e fuga de gás estiveram na base destes incêndios, afectando maioritariamente residências particulares, estabelecimentos comerciais e meios de transporte.

Houve igualmente outras ocorrências como afogamentos, derrames de combustível, deslize de terras e acidentes de viação.