Covid-19: Cento e 52 cidadão recebem primeira dose no Cunene

  • Efectivos da policia recebem vacina contra a covid-19
Ondjiva – Cento e 52 cidadãos foram vacinados contra à Covid-19 na província do Cunene, no primeiro dia da campanha iniciada na tarde de segunda-feira.

As autoridades sanitárias consideram haver uma adesão massiva da população alvo, nesta primeira fase.

Segundo o chefe de Departamento de Saúde Pública no Cunene, Félix Belarmino,  a perspectiva é de, a partir de hoje, começarem a ser vacinadas 300 pessoas/dia, num processo que prevê atingir 215 mil e 749 pessoas, 20 por cento da população.

Quanto aos restantes municípios, sublinhou que ainda não há previsão do inicio, sendo que neste momento a prioridade recai para Ondjiva.

Cidadãos elogiam organização

Josefina Francisca, de 52 anos de idade, agente da saúde sublinhou a organização da campanha, pois trata-se de um acto célere.

Adelia Musiseni, professora de 35 anos de idade, frisou que o sistema de cadastro, feito antes, está contribuir para a redução do tempo de espera.

Francisco Ernesto, de 55 anos de idade, efectivo do Serviço de Migração e Estrangeiros, apelou as pessoas a aderir ao processo sem reservas, pois trata-se do único meio eficaz para se prevenir de uma doença que causa muitas mortes em pouco tempo.

Afonso Semedo, efectivo da Delegação do Interior no Cunene, de 53 anos de idade, afirmou que vacinar-se é um jeito de reconhecimento do esforço que o governo está a fazer para proteger os seus cidadãos.

A vacina será administrada em duas doses, num espaço de dois meses.

A província do Cunene conta 220 casos confirmados da Covid-19, destes 215 recuperados, três activos e dois óbitos.

 

 

As autoridades sanitárias consideram haver uma adesão massiva da população alvo, nesta primeira fase.

Segundo o chefe de Departamento de Saúde Pública no Cunene, Félix Belarmino,  a perspectiva é de, a partir de hoje, começarem a ser vacinadas 300 pessoas/dia, num processo que prevê atingir 215 mil e 749 pessoas, 20 por cento da população.

Quanto aos restantes municípios, sublinhou que ainda não há previsão do inicio, sendo que neste momento a prioridade recai para Ondjiva.

Cidadãos elogiam organização

Josefina Francisca, de 52 anos de idade, agente da saúde sublinhou a organização da campanha, pois trata-se de um acto célere.

Adelia Musiseni, professora de 35 anos de idade, frisou que o sistema de cadastro, feito antes, está contribuir para a redução do tempo de espera.

Francisco Ernesto, de 55 anos de idade, efectivo do Serviço de Migração e Estrangeiros, apelou as pessoas a aderir ao processo sem reservas, pois trata-se do único meio eficaz para se prevenir de uma doença que causa muitas mortes em pouco tempo.

Afonso Semedo, efectivo da Delegação do Interior no Cunene, de 53 anos de idade, afirmou que vacinar-se é um jeito de reconhecimento do esforço que o governo está a fazer para proteger os seus cidadãos.

A vacina será administrada em duas doses, num espaço de dois meses.

A província do Cunene conta 220 casos confirmados da Covid-19, destes 215 recuperados, três activos e dois óbitos.