Escolas produzem mais de 11 mil barras de sabão

  • Produção de sabão
Ondjiva - Onze mil 717 barras de sabão caseiro foram produzidas, de Fevereiro a presente data, nos seis centros de produção criados pelo Gabinete Provincial da Educação, no Cunene, no âmbito da melhoria das condições de higiene nas escolas e de combate à Covid-19.

A informação foi avançada, hoje, pelo coordenador do projecto no Cunene, Pelágio Silikuvamwe, referindo que do sabão produzido três mil 284 foram distribuídos em 107 escolas.

Orçado em 23 milhões, 755 mil e 068 kwanzas, o projecto de fabrico e distribuição de sabão às escolas do país é financiado pelo Banco Mundial (BM), por intermédio do Projecto Aprendizagem para Todos (PAT).

No Cunene o mesmo está a ser assegurado por 24 técnicos, enquadrados em seis centros de produção.

Pelágio Silikuvamwe afirmou que a criação de centros de produção de sabão, que está a ser dinamizado por profissionais da educação, é um contributo valioso na melhoria do saneamento básico e combate à Covid-19.

O projecto, salientou, vai assegurar a higiene de 141 mil 422 alunos, enquadrados em 775 escolas do ensino primário, nos seis municípios da província.

O responsável lembrou que a situação epidemiológica impõe o reforço das medidas de biossegurança e a produção de sabão vai contribuir para a melhoria de outros indicadores, como mais saúde, mais aprendizado, melhor ambiente e o aumento da auto-estima dos alunos.

A província do Cunene possui 868 escolas, sendo 792 do ensino primário, 56 do primeiro ciclo e 20 do segundo.

A informação foi avançada, hoje, pelo coordenador do projecto no Cunene, Pelágio Silikuvamwe, referindo que do sabão produzido três mil 284 foram distribuídos em 107 escolas.

Orçado em 23 milhões, 755 mil e 068 kwanzas, o projecto de fabrico e distribuição de sabão às escolas do país é financiado pelo Banco Mundial (BM), por intermédio do Projecto Aprendizagem para Todos (PAT).

No Cunene o mesmo está a ser assegurado por 24 técnicos, enquadrados em seis centros de produção.

Pelágio Silikuvamwe afirmou que a criação de centros de produção de sabão, que está a ser dinamizado por profissionais da educação, é um contributo valioso na melhoria do saneamento básico e combate à Covid-19.

O projecto, salientou, vai assegurar a higiene de 141 mil 422 alunos, enquadrados em 775 escolas do ensino primário, nos seis municípios da província.

O responsável lembrou que a situação epidemiológica impõe o reforço das medidas de biossegurança e a produção de sabão vai contribuir para a melhoria de outros indicadores, como mais saúde, mais aprendizado, melhor ambiente e o aumento da auto-estima dos alunos.

A província do Cunene possui 868 escolas, sendo 792 do ensino primário, 56 do primeiro ciclo e 20 do segundo.