Covid-19: Hospital reforça medidas de Biossegurança

  • Ilustração do Covid-19
Luena – O Hospital Geral do Moxico (HGM) reforçou as medidas de protecção contra a Covid-19, após registar três novos casos positivos da pandemia envolvendo profissionais da unidade sanitária.

Com o efeito, neste momento, está em curso, nas instalações do centro hospitalar, o processo de desinfestação em todas as áreas, com vista a se evitar a propagação da Covid-19.

Em declarações, nesta quarta-feira, à Angop, a directora do HGM, Évora Cátia Narciso, garantiu que, apesar dos referidos pacientes se encontrarem em quarentena domiciliar, o hospital possui uma sala com quatro camas e um grupo de profissionais (sem especificar o número) preparado para dar resposta aos casos da pandemia.

Apesar do pânico criado com o diagnóstico dos referidos casos na instituição, a responsável tranquilizou que o pessoal técnico funciona sem quaisquer restrições.

No Moxico, o primeiro caso da Covid–19 foi diagnosticado a 31 de Julho, e a meio desse período foram detectados mais três nos municípios fronteiriços do Alto Zambeze e Bundas.

A propósito, o porta-voz da Comissão Multissectorial de Combate à Covid-19 no Moxico, Balde Barnabé, assegurou que apresentam um quadro clínico assintomático.

Sem especificar os profissionais infectados, explicou que os casos positivos resultam de 50 amostras de testes aleatórios realizado na semana finda direccionados aos funcionários do HGM.

Balde Barnabé adiantou que o processo de análise serológica, abrangendo igualmente, doentes internados naquela unidade sanitária, vai continuar.

O Moxico tem m registo de sete casos registados, com três activos e quatro recuperados.  

Com o efeito, neste momento, está em curso, nas instalações do centro hospitalar, o processo de desinfestação em todas as áreas, com vista a se evitar a propagação da Covid-19.

Em declarações, nesta quarta-feira, à Angop, a directora do HGM, Évora Cátia Narciso, garantiu que, apesar dos referidos pacientes se encontrarem em quarentena domiciliar, o hospital possui uma sala com quatro camas e um grupo de profissionais (sem especificar o número) preparado para dar resposta aos casos da pandemia.

Apesar do pânico criado com o diagnóstico dos referidos casos na instituição, a responsável tranquilizou que o pessoal técnico funciona sem quaisquer restrições.

No Moxico, o primeiro caso da Covid–19 foi diagnosticado a 31 de Julho, e a meio desse período foram detectados mais três nos municípios fronteiriços do Alto Zambeze e Bundas.

A propósito, o porta-voz da Comissão Multissectorial de Combate à Covid-19 no Moxico, Balde Barnabé, assegurou que apresentam um quadro clínico assintomático.

Sem especificar os profissionais infectados, explicou que os casos positivos resultam de 50 amostras de testes aleatórios realizado na semana finda direccionados aos funcionários do HGM.

Balde Barnabé adiantou que o processo de análise serológica, abrangendo igualmente, doentes internados naquela unidade sanitária, vai continuar.

O Moxico tem m registo de sete casos registados, com três activos e quatro recuperados.