Covid-19: Incumprimento das medidas de prevenção preocupa autoridades

  • Cidadãos afluem aos cemitérios
Lobito – O comportamento negligente de cidadãos no município do Balombo, província de Benguela, face às medidas de prevenção contra a Covid-19, com realce para o não uso das máscaras faciais (ou uso incorrecto), é a principal inquietação das autoridades sanitárias locais.

Essa preocupação foi avançada na quinta-feira, à Angop, pelo director municipal da Saúde do Balombo, Adriano Cachepe, realçando que os jovens estão entre os que mais ignoram as medidas contra a pandemia, além de idosos e crianças.    

“Diariamente é visível o descaso de muitos cidadãos relativamente à doença, não usando as máscaras ou deixando-as coladas ao queixo, comportamento que pode pôr em risco a sua saúde”, lamentou.

Para mudar o quadro, o médico vê como solução a participação das igrejas na sensibilização dos seus fiéis e não só.

Afirmou ainda que a equipa multissectorial do município tem realizado semanalmente visitas a vários locais para aferir o cumprimento das medidas de prevenção da pandemia e alertar os cidadãos sobre os riscos que correm face à doença.

O sector da Saúde tem trabalhado em mercados e outros espaços comerciais, escolas, unidades da polícia, ruas e outros locais, de modo a consciencializar as pessoas sobre a gravidade da Covid-19.

O município do Balombo tem neste momento em quarentena domiciliar cinco pessoas, provenientes das províncias de Luanda, Cuanza Norte e Cuanza Sul, algumas das quais sem o comprovativo da realização do teste da enfermidade.

Quanto às instalações para quarentena institucional, Adriano Cachepe disse que o hospital municipal tem uma sala provisória com capacidade de quatro camas.

O Balombo, um dos 10 municípios da província de Benguela, não registou até ao momento nenhum caso da Covid-19.

Essa preocupação foi avançada na quinta-feira, à Angop, pelo director municipal da Saúde do Balombo, Adriano Cachepe, realçando que os jovens estão entre os que mais ignoram as medidas contra a pandemia, além de idosos e crianças.    

“Diariamente é visível o descaso de muitos cidadãos relativamente à doença, não usando as máscaras ou deixando-as coladas ao queixo, comportamento que pode pôr em risco a sua saúde”, lamentou.

Para mudar o quadro, o médico vê como solução a participação das igrejas na sensibilização dos seus fiéis e não só.

Afirmou ainda que a equipa multissectorial do município tem realizado semanalmente visitas a vários locais para aferir o cumprimento das medidas de prevenção da pandemia e alertar os cidadãos sobre os riscos que correm face à doença.

O sector da Saúde tem trabalhado em mercados e outros espaços comerciais, escolas, unidades da polícia, ruas e outros locais, de modo a consciencializar as pessoas sobre a gravidade da Covid-19.

O município do Balombo tem neste momento em quarentena domiciliar cinco pessoas, provenientes das províncias de Luanda, Cuanza Norte e Cuanza Sul, algumas das quais sem o comprovativo da realização do teste da enfermidade.

Quanto às instalações para quarentena institucional, Adriano Cachepe disse que o hospital municipal tem uma sala provisória com capacidade de quatro camas.

O Balombo, um dos 10 municípios da província de Benguela, não registou até ao momento nenhum caso da Covid-19.