Covid-19: Laboratório de biologia molecular precisa de Kz 5 milhões

  • Ilustração do Covid-19
Dundo – O laboratório regional de biologia molecular, com capacidade de realizar dois mil testes/mês, necessita de cinco milhões de kwanzas para suportar as despesas com o pessoal, segurança, energia, água e combustível, visando o seu pleno funcionamento.

O laboratório regional, em funcionamento desde Novembro de 2020, atende as províncias da Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico, com a realização de testes por Eliza e Zaragatoa.

Segundo o director do laboratório, Matuzey Babela, que avançou a informação no final de uma visita do governador provincial  da Lunda Norte, Ernesto Muangala, o laboratório não beneficia de nenhuma percentagem das receitas arrecadadas, sendo que algumas despesas têm sido supridas pelo Gabinete Provincial da Saúde.

O laboratório factura, mensalmente, cerca de 10 milhões de kwanzas, como resultados das cobranças dos testes reralizados.

Por seu turno, o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, assegurou que vai, junto dos ministérios de tutela, Finanças e Saúde, para se encontrar um mecanismo e permitir que 50 por cento dos valores arrecadados sejam alocados ao laboratório, para cobrir as demais despesas.

Desde a sua inauguração, o laboratório já processou perto de sete mil amostras, sendo a maioria da província da Lunda Norte, da Lunda Sul  foram processadas 2.014 e apenas uma da  província do Moxico. Os cidadãos realizam testes para viagens a capital do país, Luanda.

 

O laboratório regional, em funcionamento desde Novembro de 2020, atende as províncias da Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico, com a realização de testes por Eliza e Zaragatoa.

Segundo o director do laboratório, Matuzey Babela, que avançou a informação no final de uma visita do governador provincial  da Lunda Norte, Ernesto Muangala, o laboratório não beneficia de nenhuma percentagem das receitas arrecadadas, sendo que algumas despesas têm sido supridas pelo Gabinete Provincial da Saúde.

O laboratório factura, mensalmente, cerca de 10 milhões de kwanzas, como resultados das cobranças dos testes reralizados.

Por seu turno, o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, assegurou que vai, junto dos ministérios de tutela, Finanças e Saúde, para se encontrar um mecanismo e permitir que 50 por cento dos valores arrecadados sejam alocados ao laboratório, para cobrir as demais despesas.

Desde a sua inauguração, o laboratório já processou perto de sete mil amostras, sendo a maioria da província da Lunda Norte, da Lunda Sul  foram processadas 2.014 e apenas uma da  província do Moxico. Os cidadãos realizam testes para viagens a capital do país, Luanda.