Covid-19- MINSA reforça capacidade de testagem na fronteira com a Namíbia

  • Cunene: Secretário de Estado Franco Mufinda fala a imprensa na fronteira de Santa Clara-Namíbia
Ondjiva - O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou, terça-feira, na província do Cunene, o reforço da capacidade de testagem nas províncias fronteiriças com a República da Namíbia.

Falando à imprensa, no quadro de uma visita de dois dias à província do Cunene, Franco Mufinda disse que, com o aumento de casos no país vizinho, a estratégia é aumentar os testes junto da população para se ter a imagem real do que está acontecer.

Franco Mufinda informou que as autoridades locais estão a realizar um trabalho de forma aleatória em pequenas amostras no sentido de testar alguns organismos, facto que carece do aumento do número de testes para facilitar e ampliar o foco do trabalho.

Segundo o responsável, o teste continua a ser o elemento fundamental para o acesso de pessoas no país.

Vacinação com dose única

Realçou que a gestão da Covid-19 na fronteira com a Namíbia passa, igualmente, pelo processo de vacinação, com a Johnson & Johnson, dose única, tendo em conta o modo de vida da população local.

Considera fundamental mobilizar as comunidades para adesão ao processo de vacinação, com particular realce para o município de Namacunde.

Franco Mufinda pediu o auxílio dos órgãos de comunicação social, sobas, igrejas e outros actores sociais no sentido de desempenhar o papel de educadores e mobilizadores nas comunidades, para aderir o processo de vacinação.

"Sabemos que as comunidades do Cunene têm influências com a Namíbia, onde há alguns problemas de adesão à vacinação, facto que pode jogar pela negativa o processo nas zonas fronteiriças”, sublinhou.

Franco Mufinda alertou ainda para o reforço da vigilância epidemiológica, com a criação das brigadas comunitárias, de modo a ajudar a identificar as pessoas e facilitar o processo de seguimento dos casos positivos, visando dar resposta rápida para localizar as pessoas acometidas e tornar funcional a quarentena institucional e domiciliar.

Apelou às populações no sentido de continuarem a manter as medidas de prevenção individual e colectiva, visto que a realidade actual da província do Cunene inspira cuidados intensivos, mesmo depois de tomar as duas doses da vacina.

Dados do gabinete da Saúde, indica que a província do Cunene conta, actualmente com 717 casos confirmados, sendo 347 recuperados, 18 óbitos e 352 activos.

 

 

Falando à imprensa, no quadro de uma visita de dois dias à província do Cunene, Franco Mufinda disse que, com o aumento de casos no país vizinho, a estratégia é aumentar os testes junto da população para se ter a imagem real do que está acontecer.

Franco Mufinda informou que as autoridades locais estão a realizar um trabalho de forma aleatória em pequenas amostras no sentido de testar alguns organismos, facto que carece do aumento do número de testes para facilitar e ampliar o foco do trabalho.

Segundo o responsável, o teste continua a ser o elemento fundamental para o acesso de pessoas no país.

Vacinação com dose única

Realçou que a gestão da Covid-19 na fronteira com a Namíbia passa, igualmente, pelo processo de vacinação, com a Johnson & Johnson, dose única, tendo em conta o modo de vida da população local.

Considera fundamental mobilizar as comunidades para adesão ao processo de vacinação, com particular realce para o município de Namacunde.

Franco Mufinda pediu o auxílio dos órgãos de comunicação social, sobas, igrejas e outros actores sociais no sentido de desempenhar o papel de educadores e mobilizadores nas comunidades, para aderir o processo de vacinação.

"Sabemos que as comunidades do Cunene têm influências com a Namíbia, onde há alguns problemas de adesão à vacinação, facto que pode jogar pela negativa o processo nas zonas fronteiriças”, sublinhou.

Franco Mufinda alertou ainda para o reforço da vigilância epidemiológica, com a criação das brigadas comunitárias, de modo a ajudar a identificar as pessoas e facilitar o processo de seguimento dos casos positivos, visando dar resposta rápida para localizar as pessoas acometidas e tornar funcional a quarentena institucional e domiciliar.

Apelou às populações no sentido de continuarem a manter as medidas de prevenção individual e colectiva, visto que a realidade actual da província do Cunene inspira cuidados intensivos, mesmo depois de tomar as duas doses da vacina.

Dados do gabinete da Saúde, indica que a província do Cunene conta, actualmente com 717 casos confirmados, sendo 347 recuperados, 18 óbitos e 352 activos.