Covid-19: Porto doa testes rápidos ao HGL

  • Feira destaca criações ligadas à Covid-19
Lobito - O Hospital Geral do Lobito, na província de Benguela, recebeu esta sexta-feira quinhentos testes rápidos da Covid-19, doados pela Clínica do Porto local, por ocasião do Dia do Trabalhador de Saúde, celebrado no país a 25 de Setembro, constatou a Angop.

Segundo a directora da clínica, Mariana Wimbo, na oferta foi incluída a doação de sangue, que envolveu 20 trabalhadores da unidade portuária, uma vez que a Hemoterapia da principal unidade hospitalar no Lobito enfrenta grandes dificuldades para manter um stock aceitável, para acudir situações de emergência.

Para aumentar a hemoglobina aos pacientes, 1000 frascos de xarope "Hemo Force" também fizeram parte do leque de oferta do Porto do Lobito.

A directora explicou que a empresa portuária, no âmbito da sua responsabilidade social, tem feito actividades solidárias duas vezes por ano.

Recentemente, empreendeu uma campanha de sensibilização contra a malária e também contra a pandemia da Covid-19, nas praças do Tchapanguele, do Liro e da Calumba, onde foi feita a entrega de duas mil máscaras faciais.

Entretanto, Domingos Junqueira, um dos trabalhadores do Porto, afirmou que doa sangue desde 1994 e está comprometido em fazer este exercício a cada 90 dias, contribuindo para a saúde de pessoas necessitadas.

Adiantou, no entanto, que o doador deve cumprir com alguns requisitos, tais como medir regularmente a tensão, para saber o seu estado de saúde e manter uma dieta adequada para estar sempre a altura para doar.

Por sua vez, a doadora Vanessa da Silva Neto, fez um apelo à sociedade, afirmando que “numa operação de cerca de 15 minutos, podemos salvar a vida de um parente, um amigo ou mesmo alguém desconhecido, e que um dia poderemos ser nós a necessitar de sangue para sobreviver ”.

A efeméride é celebrada numa altura em que os profissionais da saúde, entre os quais médicos, enfermeiros e técnicos, estão engajados no combate à propagação da Covid-19, pela saúde e segurança dos cidadãos.

Além de servir de reflexão para a humanização e profissionalismo, no exercício da assistência médica, propõe-se incentivar a criação de condições para a formação, capacitação contínua dos trabalhadores do sector, bem como melhorar as condições de trabalho e sociais dos profissionais de saúde.

O dia 25 de Setembro, pretende também incentivar cada trabalhador do sector, a melhorar o seu desempenho em prol da saúde das populações.

Segundo a directora da clínica, Mariana Wimbo, na oferta foi incluída a doação de sangue, que envolveu 20 trabalhadores da unidade portuária, uma vez que a Hemoterapia da principal unidade hospitalar no Lobito enfrenta grandes dificuldades para manter um stock aceitável, para acudir situações de emergência.

Para aumentar a hemoglobina aos pacientes, 1000 frascos de xarope "Hemo Force" também fizeram parte do leque de oferta do Porto do Lobito.

A directora explicou que a empresa portuária, no âmbito da sua responsabilidade social, tem feito actividades solidárias duas vezes por ano.

Recentemente, empreendeu uma campanha de sensibilização contra a malária e também contra a pandemia da Covid-19, nas praças do Tchapanguele, do Liro e da Calumba, onde foi feita a entrega de duas mil máscaras faciais.

Entretanto, Domingos Junqueira, um dos trabalhadores do Porto, afirmou que doa sangue desde 1994 e está comprometido em fazer este exercício a cada 90 dias, contribuindo para a saúde de pessoas necessitadas.

Adiantou, no entanto, que o doador deve cumprir com alguns requisitos, tais como medir regularmente a tensão, para saber o seu estado de saúde e manter uma dieta adequada para estar sempre a altura para doar.

Por sua vez, a doadora Vanessa da Silva Neto, fez um apelo à sociedade, afirmando que “numa operação de cerca de 15 minutos, podemos salvar a vida de um parente, um amigo ou mesmo alguém desconhecido, e que um dia poderemos ser nós a necessitar de sangue para sobreviver ”.

A efeméride é celebrada numa altura em que os profissionais da saúde, entre os quais médicos, enfermeiros e técnicos, estão engajados no combate à propagação da Covid-19, pela saúde e segurança dos cidadãos.

Além de servir de reflexão para a humanização e profissionalismo, no exercício da assistência médica, propõe-se incentivar a criação de condições para a formação, capacitação contínua dos trabalhadores do sector, bem como melhorar as condições de trabalho e sociais dos profissionais de saúde.

O dia 25 de Setembro, pretende também incentivar cada trabalhador do sector, a melhorar o seu desempenho em prol da saúde das populações.