Covid-19: Vacinação prorrogada para mais 10 dias

  • Fraca adesão ao centro de campanha de vacinação contra o COVID-19 no Cunene
Mbanza Kongo – O sector da saúde na província do Zaire decidiu prorrogar, para mais 10 dias, a administração da segunda dose da vacina da Astrazeneca, para abranger todos os utentes da primeira dose, soube hoje, sexta-feira, a ANGOP.

A segunda dose começou a ser administrada no dia 31 de Maio e atendeu 14 mil e 510 indivíduos que haviam sido vacinados com a primeira dose, faltando um universo de três mil e 87 pessoas.

De acordo com o supervisor provincial da promoção da Saúde, Andrade Lunzailawo Kianzuaku, a decisão surge para facilitar os utentes que deixaram de comparecer aos postos no período previsto.

Nesta fase complementar, disse, será reduzido o número de postos de vacinação, passando de quatro para um, em Mbanza Kongo e no Soyo, mantendo também o mesmo número para Cuimba, Nzeto, Tomboco e Nóqui.

Pediu, por isso, aos utentes da primeira dose e que ainda não compareceram aos postos, que o façam durante este período de prorrogação.

Recordou, como grupo alvo, os técnicos de saúde, efectivos das forças de defesa e segurança, idosos, professores, jornalistas, membros do governo e pessoas portadoras de doenças crónicas.

Tranquilizou que, das 15 mil e 500 doses da Astrazeneca que a província recebeu, para a toma da segunda dose, restam quantidades significativas para atender os utentes em falta.

 

A segunda dose começou a ser administrada no dia 31 de Maio e atendeu 14 mil e 510 indivíduos que haviam sido vacinados com a primeira dose, faltando um universo de três mil e 87 pessoas.

De acordo com o supervisor provincial da promoção da Saúde, Andrade Lunzailawo Kianzuaku, a decisão surge para facilitar os utentes que deixaram de comparecer aos postos no período previsto.

Nesta fase complementar, disse, será reduzido o número de postos de vacinação, passando de quatro para um, em Mbanza Kongo e no Soyo, mantendo também o mesmo número para Cuimba, Nzeto, Tomboco e Nóqui.

Pediu, por isso, aos utentes da primeira dose e que ainda não compareceram aos postos, que o façam durante este período de prorrogação.

Recordou, como grupo alvo, os técnicos de saúde, efectivos das forças de defesa e segurança, idosos, professores, jornalistas, membros do governo e pessoas portadoras de doenças crónicas.

Tranquilizou que, das 15 mil e 500 doses da Astrazeneca que a província recebeu, para a toma da segunda dose, restam quantidades significativas para atender os utentes em falta.