Covid-19: Mais de 200 mil euros disponíveis para apoiar mulheres

  • Ilustração do  Covid-19
Lubango - Duzentos e 86 mil euros estão disponíveis para apoiar quatro mil mulheres e raparigas vulneráveis, num período de quatro anos, através do projecto denominado “Género em tempos de Covid-19”, da Organização Não Governamental People in Need (PIN).

O projecto, cujas acções visam mitigar o impacto socioeconómico da pandemia no país, foi lançado hoje, sexta-feira, no Lubango (Huíla), e compreende três componentes, designadamente Informação sobre Saúde Nutricional e Planeamento Familiar, Actividades Geradoras de Rendimentos e Planos de Respostas e Recuperação mais Iclusiva.

A acção é financiada pela União Europeia, com 75 por cento, e pela PIN, com 25 por cento.

Em declarações à imprensa, a gestora do projecto, Ludovina Nunda, afirmou que a acção prevê trabalhar com 50 grupos de associação de mulheres e organização da sociedade civil.

Duzentos (200) agentes comunitários de saúde e parteiras tradicionais, além da envolvência de sectores privados e instituições públicas, fazem igualmente parte do projecto.

A acção vai alcançar quatro mil mulheres com idades entre os 14 aos 65 anos de idade em zonas urbanas e na periferia do Lubango, especialmente aquelas chefes de famílias e as que já estão acima da idade.

Referiu que a  segunda  componente do projecto  vai identificar grupos de mulheres, olhando para o contexto daquelas actividades que são seguras e também  alternativas.

Explicou que algumas actividades preparatórias já começaram como o mapeamento, com ajuda de algumas instituições privada e do Governo, para identificação desses grupos.

Ludovina Nunda disse que espera contribuir para a redução do impacto da Covid-19, sobretudo na esfera económica nesse grupo de mulheres com o qual vão trabalhar.

 

 

 

 

O projecto, cujas acções visam mitigar o impacto socioeconómico da pandemia no país, foi lançado hoje, sexta-feira, no Lubango (Huíla), e compreende três componentes, designadamente Informação sobre Saúde Nutricional e Planeamento Familiar, Actividades Geradoras de Rendimentos e Planos de Respostas e Recuperação mais Iclusiva.

A acção é financiada pela União Europeia, com 75 por cento, e pela PIN, com 25 por cento.

Em declarações à imprensa, a gestora do projecto, Ludovina Nunda, afirmou que a acção prevê trabalhar com 50 grupos de associação de mulheres e organização da sociedade civil.

Duzentos (200) agentes comunitários de saúde e parteiras tradicionais, além da envolvência de sectores privados e instituições públicas, fazem igualmente parte do projecto.

A acção vai alcançar quatro mil mulheres com idades entre os 14 aos 65 anos de idade em zonas urbanas e na periferia do Lubango, especialmente aquelas chefes de famílias e as que já estão acima da idade.

Referiu que a  segunda  componente do projecto  vai identificar grupos de mulheres, olhando para o contexto daquelas actividades que são seguras e também  alternativas.

Explicou que algumas actividades preparatórias já começaram como o mapeamento, com ajuda de algumas instituições privada e do Governo, para identificação desses grupos.

Ludovina Nunda disse que espera contribuir para a redução do impacto da Covid-19, sobretudo na esfera económica nesse grupo de mulheres com o qual vão trabalhar.