Covid-19: População acorre em massa à imunização no Sumbe

  • Técnicos de saúde no posto de  vacinação contra a Covid-19
Sumbe - Mais de cinco centenas de cidadãos acorreram hoje, segunda-feira, ao pavilhão multiusos do Benfica, na cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul, para serem vacinadas contra a Covid-19, apurou a ANGOP.

Com uma previsão de vacinação de 19.073 cidadãos, a campanha, aberta pelo sercretário de Estado da Saúde, Franco Mufinda, está a priorizar, neste primeiro dia, funcionários da saúde e adultos acima dos 65 anos.

Pessoas com comorbilidades, professores e efectivos das forças de defesa e segurança, também fazem parte do grupo prioritário.

Para o efeito, estão disponíveis 19.450 doses da vacina Astrazeneca e o aparato montado permite a imunização de mais de quatro mil pessoas por dia, de acordo com Franco Mufinda.

O médico fez saber que até sábado (10), foram vacinadas, a nível nacional, 250 mil pessoas e todas encontram-se bem de saúde.

“Aconselhamos o consumo de líquidos, após a vacina. De resto, leva-se a vida na normalidade”, disse o responsável.

Disse ter registado um recuo no cumprimento das medidas de prevenção por parte de muitos cidadãos do Sumbe, tendo reprovado a atitude e recomendado o redobrar do uso das máscaras, lavagem das mãos, distanciamentos físico e álcool em gel.

“Apelamos a população que o assunto continua agudo quanto antes. Temos em circulação em Luanda, epicentro, as variantes inglesa e sul-africana, pelo que devemos reforçar a prevenção”, alertou.

Relativamente as variantes, Angola registou até ao momento 17 casos, dos quais sete (7) da Inglaterra, seis (6) da África do Sul, três (3) da Tanzânia e um (01) nigeriana.

Garantiu haver vacinas suficientes para aplicação da segunda dose, num espaço de dois meses, aos que foram vacinados agora.

Segundo a vice-governadora para o sector Político, Económico e Social, Emília Tchinawalile estão criadas todas as condições para que a campanha decorra bem e apelou a população alvo a aderir ao processo.

Disse que o governo local criará condições para os cidadãos de outros municípios deslocarem-se ao Sumbe e serem imunizados.

Já alguns cidadãos, minutos após apanharem a vacina contra a COVID-19, mostraram-se felizes e afirmaram estar bem, sem qualquer dor.

Dados do Gabinete Provincial da Saúde, avançam que o Cuanza Sul confirmou 502 casos da Covid-19, dos quais oito estão activos, 489 recuperados, cinco óbitos e 14 em quarentena, sendo 11 no município do Libolo e três no Sumbe.

A província do Cuanza Sul tem 12 municípios e uma população estimada em aproximadamente dois milhões de habitantes.

 

Com uma previsão de vacinação de 19.073 cidadãos, a campanha, aberta pelo sercretário de Estado da Saúde, Franco Mufinda, está a priorizar, neste primeiro dia, funcionários da saúde e adultos acima dos 65 anos.

Pessoas com comorbilidades, professores e efectivos das forças de defesa e segurança, também fazem parte do grupo prioritário.

Para o efeito, estão disponíveis 19.450 doses da vacina Astrazeneca e o aparato montado permite a imunização de mais de quatro mil pessoas por dia, de acordo com Franco Mufinda.

O médico fez saber que até sábado (10), foram vacinadas, a nível nacional, 250 mil pessoas e todas encontram-se bem de saúde.

“Aconselhamos o consumo de líquidos, após a vacina. De resto, leva-se a vida na normalidade”, disse o responsável.

Disse ter registado um recuo no cumprimento das medidas de prevenção por parte de muitos cidadãos do Sumbe, tendo reprovado a atitude e recomendado o redobrar do uso das máscaras, lavagem das mãos, distanciamentos físico e álcool em gel.

“Apelamos a população que o assunto continua agudo quanto antes. Temos em circulação em Luanda, epicentro, as variantes inglesa e sul-africana, pelo que devemos reforçar a prevenção”, alertou.

Relativamente as variantes, Angola registou até ao momento 17 casos, dos quais sete (7) da Inglaterra, seis (6) da África do Sul, três (3) da Tanzânia e um (01) nigeriana.

Garantiu haver vacinas suficientes para aplicação da segunda dose, num espaço de dois meses, aos que foram vacinados agora.

Segundo a vice-governadora para o sector Político, Económico e Social, Emília Tchinawalile estão criadas todas as condições para que a campanha decorra bem e apelou a população alvo a aderir ao processo.

Disse que o governo local criará condições para os cidadãos de outros municípios deslocarem-se ao Sumbe e serem imunizados.

Já alguns cidadãos, minutos após apanharem a vacina contra a COVID-19, mostraram-se felizes e afirmaram estar bem, sem qualquer dor.

Dados do Gabinete Provincial da Saúde, avançam que o Cuanza Sul confirmou 502 casos da Covid-19, dos quais oito estão activos, 489 recuperados, cinco óbitos e 14 em quarentena, sendo 11 no município do Libolo e três no Sumbe.

A província do Cuanza Sul tem 12 municípios e uma população estimada em aproximadamente dois milhões de habitantes.