Divina Providência volta quinta-feira ao funcionamento normal

Luanda - Os serviços de clinica geral, de especialidade e outras tarefas de assistência ao público do Hospital Divina Providência, no Kilamba Kiaxi, retomam a partir de quinta-feira, depois de dois dias de paralisação devido a uma greve convocada na segunda-feira (5), pelo sindicato de trabalhadores daquela unidade hospitalar.

O levantamento da grave foi decidido no fim de um encontro realizado hoje (quarta-feira )  entre a direcção do hospital e o sindicato, depois da entidade empregadora ter se comprometido em rever seis dos 11 pontos de revindicação.

Durante a leitura das conclusões feita pelo coordenador do sindicato, Hermenegildo Carlos, foram destacados a  manutenção da alimentação dos trabalhadores em regime de turno e a promessa  da direcção  não suspender os trabalhadores em contrato provisório.

A entrega da pré-programação das necessidades financeiras pelo departamento de planeamento de finança do hospital ao Gabinete Provincial de Saúde de Luanda com uma semana de antecedência, é outra exigência dos trabalhadores.

Os sindicalistas exigem que a direcção do hospital não efectue desconto salarial aos trabalhadores que aderiram a greve nos dias cinco a sete deste mês.

Quanto aos outros cinco pontos das revindicações que ficam por resolver, as duas parte comprometeram-se em continuar com as negociações até chegar a um ponto comum..  

Em funcionamento há mais de 20 anos, o Hospital Divina Providência está localizado no município do Kilamba Kiaxi, tem a capacidade de 100 camas e conta com mais de 400 funcionários distribuídos em vários serviços com destaque para a pediatria,  cardiologia, urologia, ecografia e estomatologia.

O levantamento da grave foi decidido no fim de um encontro realizado hoje (quarta-feira )  entre a direcção do hospital e o sindicato, depois da entidade empregadora ter se comprometido em rever seis dos 11 pontos de revindicação.

Durante a leitura das conclusões feita pelo coordenador do sindicato, Hermenegildo Carlos, foram destacados a  manutenção da alimentação dos trabalhadores em regime de turno e a promessa  da direcção  não suspender os trabalhadores em contrato provisório.

A entrega da pré-programação das necessidades financeiras pelo departamento de planeamento de finança do hospital ao Gabinete Provincial de Saúde de Luanda com uma semana de antecedência, é outra exigência dos trabalhadores.

Os sindicalistas exigem que a direcção do hospital não efectue desconto salarial aos trabalhadores que aderiram a greve nos dias cinco a sete deste mês.

Quanto aos outros cinco pontos das revindicações que ficam por resolver, as duas parte comprometeram-se em continuar com as negociações até chegar a um ponto comum..  

Em funcionamento há mais de 20 anos, o Hospital Divina Providência está localizado no município do Kilamba Kiaxi, tem a capacidade de 100 camas e conta com mais de 400 funcionários distribuídos em vários serviços com destaque para a pediatria,  cardiologia, urologia, ecografia e estomatologia.