Laboratório de Biologia Molecular eleva serviços no leste

  • Laboratorio Do Centro De Diagnostico De Viana
Dundo - O Laboratório de Biologia Molecular da Lunda Norte, erguido para fazer face ao surgimento da pandemia da Covid-19, apresenta-se como uma mais-valia em termos de internamento e testagem dos cidadãos na região leste de Angola.

A província da Lunda Norte foi das que mais beneficiou dos investimentos do Estado angolano, que implementou dois projectos, sendo um Hospital de Campanha, com 200 camas, e um laboratório de biologia molecular, com capacidade de processar dois mil testes/dia.

Localizado no distrito urbano do Mussungue, município do Chitato, o laboratório atende as três províncias do leste de Angola (Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico) e realiza testes de Elisa e zaragatoa.

A entrada em funcionamento do infra-estrutura, que comporta  salas de preparação das amostras, reagentes, extracção,   ampliação e sorologia e dormitórios para os técnicos,   a região leste deixa de depender de Luanda no processamento dos testes, cujos resultados demoravam uma semana.

Trata-se de um laboratório que, para além da Covid-19,   realizará outros exames moleculares que só eram possíveis no exterior do país, como câncer; triagem pré-natal não invasivo que detecta, além do sexo do bebé, possíveis alterações cromossômicas e as trissomias mais comuns nos bebés.

Já o Hospital de campanha, com 27 naves preparadas para receber e tratar pacientes com patologias leves, assintomáticos e graves (cuidados intensivos), dispõe  de áreas para logística, laboratório e Raio X, balneários, sala dos médicos e para a administração da unidade e 20 ventiladores.

Por ocasião do Dia  Mundial da Saúde,  o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, considerou estes investimentos  um "trampolim" na melhoria dos serviços, por permitir que os cidadãos evitem gastos avultados para realizarem exames especiais em outros pontos do mundo.

Relativamente ao Hospital de Campanha, Ernesto Muangala afirmou que torna a Lunda Norte melhor preparada para acudir surgimento de novas pandemias ou endemias, uma vez que a região é fronteiriça e exposta.

Aproveitou a ocasião para apelar a população local a redobrar as medidas de biossegurança, cumprindo com as restrições impostas pelo Estado, para conter a cadeia de transmissão do vírus na região.

Actualmente, a província da Lunda Norte conta com 14 hospitais, 19 centros de saúde e 69 postos de saúde,  asseguradas por mais 60 médicos e quase 900 enfermeiros.

A província da Lunda Norte foi das que mais beneficiou dos investimentos do Estado angolano, que implementou dois projectos, sendo um Hospital de Campanha, com 200 camas, e um laboratório de biologia molecular, com capacidade de processar dois mil testes/dia.

Localizado no distrito urbano do Mussungue, município do Chitato, o laboratório atende as três províncias do leste de Angola (Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico) e realiza testes de Elisa e zaragatoa.

A entrada em funcionamento do infra-estrutura, que comporta  salas de preparação das amostras, reagentes, extracção,   ampliação e sorologia e dormitórios para os técnicos,   a região leste deixa de depender de Luanda no processamento dos testes, cujos resultados demoravam uma semana.

Trata-se de um laboratório que, para além da Covid-19,   realizará outros exames moleculares que só eram possíveis no exterior do país, como câncer; triagem pré-natal não invasivo que detecta, além do sexo do bebé, possíveis alterações cromossômicas e as trissomias mais comuns nos bebés.

Já o Hospital de campanha, com 27 naves preparadas para receber e tratar pacientes com patologias leves, assintomáticos e graves (cuidados intensivos), dispõe  de áreas para logística, laboratório e Raio X, balneários, sala dos médicos e para a administração da unidade e 20 ventiladores.

Por ocasião do Dia  Mundial da Saúde,  o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, considerou estes investimentos  um "trampolim" na melhoria dos serviços, por permitir que os cidadãos evitem gastos avultados para realizarem exames especiais em outros pontos do mundo.

Relativamente ao Hospital de Campanha, Ernesto Muangala afirmou que torna a Lunda Norte melhor preparada para acudir surgimento de novas pandemias ou endemias, uma vez que a região é fronteiriça e exposta.

Aproveitou a ocasião para apelar a população local a redobrar as medidas de biossegurança, cumprindo com as restrições impostas pelo Estado, para conter a cadeia de transmissão do vírus na região.

Actualmente, a província da Lunda Norte conta com 14 hospitais, 19 centros de saúde e 69 postos de saúde,  asseguradas por mais 60 médicos e quase 900 enfermeiros.