Feira de saúde do Cubal atende 1.100 pacientes

Cubal – Mil e cem pacientes foram atendidos, no último fim-de-semana, na feira de saúde realizada no município do Cubal, província de Benguela, por ocasião do seu 53º aniversário, apurou hoje, segunda-feira, a ANGOP.

De acordo com o director municipal da Saúde, Estêvão Kavaia, a malária, com 605 pessoas rastreadas e 227 casos positivos (adultos e crianças), foi a patologia com maior destaque.

O responsável referiu que, no âmbito na luta contra o VIH/Sida, foram testadas 83 pessoas, resultando em três casos positivos.

Foram ainda vacinadas 206 crianças contra a Pólio, Sarampo e Pneumonia, bem como outras 168 beneficiaram de consultas de nutrição, informou. A feira contou ainda consultas de fisioterapia, pré-natal e puericultura.

“Detectamos três casos de HIV/SIDA, alguns de sarampo cujos resultados ainda não estão disponíveis, devido ao envio dos testes ao laboratório do Hospital  Geral de Benguela, e nenhum caso suspeito de Covid-19”, referiu.

O médico mostrou-se preocupado em relação a desnutrição, principalmente nas crianças, por causa do comportamento de algumas senhoras que desmamam os seus bebés antes do tempo.

“Algumas delas, engravidam sem que o primeiro bebé complete um ano e estes saem prejudicados porque deixam de contar com o leite materno e isto tem consequências no seu crescimento”, sublinhou.

Amélia  Chitula, uma das senhoras que levou o seu bebé a consulta, disse ter saído satisfeita por estar informada sobre a patologia da sua criança e ter saído com a receita e medicamentos grátis, que poderiam custar mais caro, se comprasse no mercado paralelo.

O mesmo aconteceu com a senhora Josefa Mendes que acatou os conselhos do médico sobre a nutrição, nomeadamente a sopa de abóbora e outros alimentos com vitaminas para fortalecer a criança.

Naquela feira de dois dias, a adesão das pessoas foi notória e a equipa de médicos e enfermeiros destacados ao evento contou com a colaboração de efectivos dos serviços de sáude das Forças Armadas Angolanas e da Polícia Nacional.

 

De acordo com o director municipal da Saúde, Estêvão Kavaia, a malária, com 605 pessoas rastreadas e 227 casos positivos (adultos e crianças), foi a patologia com maior destaque.

O responsável referiu que, no âmbito na luta contra o VIH/Sida, foram testadas 83 pessoas, resultando em três casos positivos.

Foram ainda vacinadas 206 crianças contra a Pólio, Sarampo e Pneumonia, bem como outras 168 beneficiaram de consultas de nutrição, informou. A feira contou ainda consultas de fisioterapia, pré-natal e puericultura.

“Detectamos três casos de HIV/SIDA, alguns de sarampo cujos resultados ainda não estão disponíveis, devido ao envio dos testes ao laboratório do Hospital  Geral de Benguela, e nenhum caso suspeito de Covid-19”, referiu.

O médico mostrou-se preocupado em relação a desnutrição, principalmente nas crianças, por causa do comportamento de algumas senhoras que desmamam os seus bebés antes do tempo.

“Algumas delas, engravidam sem que o primeiro bebé complete um ano e estes saem prejudicados porque deixam de contar com o leite materno e isto tem consequências no seu crescimento”, sublinhou.

Amélia  Chitula, uma das senhoras que levou o seu bebé a consulta, disse ter saído satisfeita por estar informada sobre a patologia da sua criança e ter saído com a receita e medicamentos grátis, que poderiam custar mais caro, se comprasse no mercado paralelo.

O mesmo aconteceu com a senhora Josefa Mendes que acatou os conselhos do médico sobre a nutrição, nomeadamente a sopa de abóbora e outros alimentos com vitaminas para fortalecer a criança.

Naquela feira de dois dias, a adesão das pessoas foi notória e a equipa de médicos e enfermeiros destacados ao evento contou com a colaboração de efectivos dos serviços de sáude das Forças Armadas Angolanas e da Polícia Nacional.