Hospital “Agostinho Neto” leva experiência cirúrgica aos municípios   

  • Huila: Médicos em acção de Cirurgia
Lubango – O Hospital Central do Lubango “Dr. António Agostinho Neto” está a levar a sua experiência em operações cirúrgicas a unidades sanitárias municipais da Huíla, como forma de expandir os seus serviços menos complexos.

Trata-se de uma parceria que começou com o Hospital Municipal da Humpata, na semana passada, com a primeira cirurgia feita naquela unidade inaugurada há dois anos.

Em declarações hoje, terça-feira, à ANGOP, a directora-geral do hospital “Agostinho Neto”, Maria Lina Antunes, disse que o principal objectivo é melhorar o acesso dos utentes aos serviços cirúrgicos de baixa complexidade.

Fez saber que os médicos colocados no Hospital da Humpata, por exemplo, ainda não são especialistas, mas estão em formação há dois anos em diversas especialidades e já são capazes de realizar pequenas cirurgias sem supervisão presencial.

Essa iniciativa, conforme a médica, responde ao quesito de Referência e Contra Referência, pois trata-se da expansão dos serviços prestados pelo Hospital Central do Lubango para a periferia.

“Os médicos ali colocados temporariamente e de forma rotativa terão oportunidade de ganhar mais treino e competências também na área de diagnóstico e gestão de casos, actividades que são controladas e avaliadas pelos seus tutores, através da publicação obrigatória dos doentes e dificuldades num grupo do WhatsApp criado para o efeito”, informou.

Por outro lado, Lina Antunes realçou ser uma parceria que prova o êxito do programa de formação de especialistas lançado por sua Unidade em 2019 e que a primeira cirurgia feita na Humpata na semana passada é um dos frutos do programa de formação que acolhem outros médicos e em várias especialidades.

A fonte disse ser o começo de uma parceria mais ampla está prevista a expansão, ainda este ano, para a Matala e no final do próximo ano para Caluquembe.

Trata-se de uma parceria que começou com o Hospital Municipal da Humpata, na semana passada, com a primeira cirurgia feita naquela unidade inaugurada há dois anos.

Em declarações hoje, terça-feira, à ANGOP, a directora-geral do hospital “Agostinho Neto”, Maria Lina Antunes, disse que o principal objectivo é melhorar o acesso dos utentes aos serviços cirúrgicos de baixa complexidade.

Fez saber que os médicos colocados no Hospital da Humpata, por exemplo, ainda não são especialistas, mas estão em formação há dois anos em diversas especialidades e já são capazes de realizar pequenas cirurgias sem supervisão presencial.

Essa iniciativa, conforme a médica, responde ao quesito de Referência e Contra Referência, pois trata-se da expansão dos serviços prestados pelo Hospital Central do Lubango para a periferia.

“Os médicos ali colocados temporariamente e de forma rotativa terão oportunidade de ganhar mais treino e competências também na área de diagnóstico e gestão de casos, actividades que são controladas e avaliadas pelos seus tutores, através da publicação obrigatória dos doentes e dificuldades num grupo do WhatsApp criado para o efeito”, informou.

Por outro lado, Lina Antunes realçou ser uma parceria que prova o êxito do programa de formação de especialistas lançado por sua Unidade em 2019 e que a primeira cirurgia feita na Humpata na semana passada é um dos frutos do programa de formação que acolhem outros médicos e em várias especialidades.

A fonte disse ser o começo de uma parceria mais ampla está prevista a expansão, ainda este ano, para a Matala e no final do próximo ano para Caluquembe.