Hospital Agostinho Neto moderniza banco de urgência

  • Huila:  Camas no interior do Hospital Central do Lubango
  • Huila: Vista parcial do Hospital Central do Lubango
Lubango - O banco de urgências dos Hospital Central do Lubango Dr. António Agostinho Neto foi reinaugurado, neste sábado, contando com instalações modernizadas e novos equipamentos.

Trata-se da segunda fase de ampliação e reabilitação da infra-estrutura entregue pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, ao governador da Huíla, Nuno Mahapi Dala.

A unidade possui seis consultórios, 20 camas na área de observação, uma farmácia, serviços de Raio x e Tomografia Axial Computorizada (TAC).

Ao falar da estrutura, directora-geral da instituição sanitária, Maria Lina Antunes, disse que agora podem falar que contam com uma unidade vocacionada para ter um serviço de urgência que responde imediatamente as necessidades dos doentes, sem demora.

Explicou que no banco actual o paciente é logo submetido a testes laboratoriais de diagnóstico, fazendo com que tenham o tratamento indicado, com os resultados certos do seu estado, factor que pode ajudar a reduzir a mortalidade nas urgências.

“Os nossos doentes chegam tarde e em estado grave na unidade e não temos que perder tempo. O doente quando sai do banco para o internamento deve trazer já o diagnóstico ou mesmo medicado”, continuou.

A responsável informou que o banco de urgência é constituído por uma equipa de dez enfermeiros e igual número de médicos, repartidos em medicina geral e para a área cirúrgica.

No entanto, adiantou, tem um défice de especialistas nas áreas de neurocirurgia, otorrinolaringologia, oftalmologia.

A obra, que iniciou nos últimos meses de 2020, é um investimento do governo da Huíla.

A unidade conta com uma capacidade de 520 camas, repartidas por duas torres e seis blocos operatórios.

 

Trata-se da segunda fase de ampliação e reabilitação da infra-estrutura entregue pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, ao governador da Huíla, Nuno Mahapi Dala.

A unidade possui seis consultórios, 20 camas na área de observação, uma farmácia, serviços de Raio x e Tomografia Axial Computorizada (TAC).

Ao falar da estrutura, directora-geral da instituição sanitária, Maria Lina Antunes, disse que agora podem falar que contam com uma unidade vocacionada para ter um serviço de urgência que responde imediatamente as necessidades dos doentes, sem demora.

Explicou que no banco actual o paciente é logo submetido a testes laboratoriais de diagnóstico, fazendo com que tenham o tratamento indicado, com os resultados certos do seu estado, factor que pode ajudar a reduzir a mortalidade nas urgências.

“Os nossos doentes chegam tarde e em estado grave na unidade e não temos que perder tempo. O doente quando sai do banco para o internamento deve trazer já o diagnóstico ou mesmo medicado”, continuou.

A responsável informou que o banco de urgência é constituído por uma equipa de dez enfermeiros e igual número de médicos, repartidos em medicina geral e para a área cirúrgica.

No entanto, adiantou, tem um défice de especialistas nas áreas de neurocirurgia, otorrinolaringologia, oftalmologia.

A obra, que iniciou nos últimos meses de 2020, é um investimento do governo da Huíla.

A unidade conta com uma capacidade de 520 camas, repartidas por duas torres e seis blocos operatórios.