Médicos querem Faculdade de Medicina na Região Leste

Saurimo - Os médicos na província da Lunda Sul, defenderam, nesta terça-feira, a necessidade de se implementar uma Faculdade de Medicina na Região Leste, por formas a aumentar a oferta de formação de técnicos locais.

A solicitação foi feita durante uma mesa redonda que marcou as comemorações do Dia do Médico Angolano, tendo a classe sublinhado que a falta desta estrutura obriga vários técnicos a se deslocarem para as províncias de Malanje, do Huambo e de Luanda em busca de formação médica.

A propósito, o médico Viegas de Almeida disse que com uma Faculdade de Medicina os técnicos locais serão os mais beneficiários, pois estarão melhor dotados em termos de conhecimentos que possa facilitar a concorrer em concursos públicos de ingresso e de promoção de carreira.

Acrescentou que a província forma muitos enfermeiros por dispor de uma Escola de Formação de Técnicos Médios de Saúde, mas que muitos não conseguem dar sequência aos estudos por falta de condições para se deslocarem as regiões que oferecem o curso de medicina.

Quanto às condições de trabalho, disse que a província cresceu neste capítulo, tendo ganho, no ano passado, novas unidades sanitárias apetrechadas com meios de diagnóstico de ponta (mamografia, ecógrafos e TAC).

Já o médico Gomes Txiplica fez saber que há alguns anos, por falta de profissionais, eram obrigados a fazer 10 bancos por mês, mas,  com o reforço, em 2019, o quadro mudou e a carga horária reduziu para cinco.

Para assinalar a data, a Ordem dos Médicos de Angola na Lunda Sul realizou uma feira da saúde no Lar de Acolhimento 01 de Dezembro, em Saurimo.

Durante o evento foram distribuídas máscaras faciais e medicamentos.

A Ordem dos Médicos na Lunda Sul tem inscrito 83 membros, dos quais 20 especialistas.

 

A solicitação foi feita durante uma mesa redonda que marcou as comemorações do Dia do Médico Angolano, tendo a classe sublinhado que a falta desta estrutura obriga vários técnicos a se deslocarem para as províncias de Malanje, do Huambo e de Luanda em busca de formação médica.

A propósito, o médico Viegas de Almeida disse que com uma Faculdade de Medicina os técnicos locais serão os mais beneficiários, pois estarão melhor dotados em termos de conhecimentos que possa facilitar a concorrer em concursos públicos de ingresso e de promoção de carreira.

Acrescentou que a província forma muitos enfermeiros por dispor de uma Escola de Formação de Técnicos Médios de Saúde, mas que muitos não conseguem dar sequência aos estudos por falta de condições para se deslocarem as regiões que oferecem o curso de medicina.

Quanto às condições de trabalho, disse que a província cresceu neste capítulo, tendo ganho, no ano passado, novas unidades sanitárias apetrechadas com meios de diagnóstico de ponta (mamografia, ecógrafos e TAC).

Já o médico Gomes Txiplica fez saber que há alguns anos, por falta de profissionais, eram obrigados a fazer 10 bancos por mês, mas,  com o reforço, em 2019, o quadro mudou e a carga horária reduziu para cinco.

Para assinalar a data, a Ordem dos Médicos de Angola na Lunda Sul realizou uma feira da saúde no Lar de Acolhimento 01 de Dezembro, em Saurimo.

Durante o evento foram distribuídas máscaras faciais e medicamentos.

A Ordem dos Médicos na Lunda Sul tem inscrito 83 membros, dos quais 20 especialistas.