Ministro apela à conjugação de esforços no combate à Covid-19

  • Tete Antonio
Luanda - O ministro das Relações Exteriores, Téte António, apelou, nesta segunda-feira, Luanda, a conjugação de esforços para se "travar" a pandemia da Covid-19.

De acordo com o governante, que discursava na cerimónia comemorativa do 75º aniversário das Nações Unidas, com o esforço colectivo, incluído do Sistema das Nações Unidas e das suas agências especializadas, outras instituições e dos Estados Membros, se poderá ultrapassar as diferentes barreiras na luta contra todos os grandes males que afectam o mundo, tais  como a fome, a miséria e as grandes catástrofes naturais.

Téte António destacou a importância da cooperação e parceria com as Nações Unidas e as suas Agências Especializadas com o Governo de Angola na mitigação de esforços para os desafios impostos pela pandemia da Covid-19.

Para o governante, o desafio da pandemia da Covid-19 remete todos a uma reflexão profunda sobre o presente momento e a necessidade de cada vez mais envidar esforços no combate a doença e a todas outras endemias que afectam o mundo de forma muito profunda.

“O Governo Angolano tem dedicado todo seu esforço e os seus parcos recursos no combate à pandemia da Covid-19 e no apoio as populações mais vulneráveis, incluindo com a criação da bolsa monetária Kwenda. Como é óbvio, ninguém hoje pode fazer face a desafios tão grandes de forma isolada. Apreciamos, por este facto, a solidariedade de que o Governo angolano tem beneficiado para fazermos face à pandemia da Covid-19”, reforçou o ministro. 

O país contabiliza 9.644 casos positivos, com 270 óbitos, 3.530 recuperados e 5.844 activos.

Dos activos, 16 estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 29  graves, 130 moderados, 402 leves e 5.267 assintomáticos.

De acordo com o governante, que discursava na cerimónia comemorativa do 75º aniversário das Nações Unidas, com o esforço colectivo, incluído do Sistema das Nações Unidas e das suas agências especializadas, outras instituições e dos Estados Membros, se poderá ultrapassar as diferentes barreiras na luta contra todos os grandes males que afectam o mundo, tais  como a fome, a miséria e as grandes catástrofes naturais.

Téte António destacou a importância da cooperação e parceria com as Nações Unidas e as suas Agências Especializadas com o Governo de Angola na mitigação de esforços para os desafios impostos pela pandemia da Covid-19.

Para o governante, o desafio da pandemia da Covid-19 remete todos a uma reflexão profunda sobre o presente momento e a necessidade de cada vez mais envidar esforços no combate a doença e a todas outras endemias que afectam o mundo de forma muito profunda.

“O Governo Angolano tem dedicado todo seu esforço e os seus parcos recursos no combate à pandemia da Covid-19 e no apoio as populações mais vulneráveis, incluindo com a criação da bolsa monetária Kwenda. Como é óbvio, ninguém hoje pode fazer face a desafios tão grandes de forma isolada. Apreciamos, por este facto, a solidariedade de que o Governo angolano tem beneficiado para fazermos face à pandemia da Covid-19”, reforçou o ministro. 

O país contabiliza 9.644 casos positivos, com 270 óbitos, 3.530 recuperados e 5.844 activos.

Dos activos, 16 estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 29  graves, 130 moderados, 402 leves e 5.267 assintomáticos.