MINSA enaltece comprometimento dos médicos

  • Ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta (Arquivo)
Luanda – A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, enalteceu, nesta terça-feira, o sentido patriótico e o comprometimento dos médicos angolanos na prestação e na humanização dos serviços de saúde.

Em mensagem em alusão ao Dia Nacional do Médico, a ministra destaca a forma como se dedicam, com visível orgulho e empenho, para aliviar o sofrimento dos pacientes e manter o bem-estar de toda a população, numa manifestação de amor ao próximo e patriotismo que as gerações vindouras seguramente não deixarão de apreciar, reconhecer e valorizar.

“O Ministério da Saúde felicita mais uma vez a todos os médicos e exorta-os a contínua entrega à causa, salvando vidas e evitando a dor e o luto, não deixando ninguém para atrás”, reforça.

Sílvia Lutucuta dá ainda ênfase ao facto de a data ser assinalada numa altura em que a pandemia da Covid-19 está a afectar severamente as famílias, a economia e a sociedade em geral.

“Mais uma vez, e como bons discípulos de Hipócrates são convocados para assumir o seu lugar de destaque nesta luta tenaz e sem tréguas contra um inimigo invisível, consentindo todos os sacrifícios de forma individual e para as suas famílias.  Aproveitamos render a mais sentida homenagem aos nossos médicos que consentiram o sacrifício último dando as próprias vidas na luta contra à pandemia”, avança.

Conforme a ministra, perante este cenário e todos os outros desafios já enfrentados para a melhoria do Sistema Nacional de Saúde, o apoio indelével de todos os profissionais ajudou a fazer as necessárias adaptações rápidas  para garantir a vida de todas as pessoas, em especial dos seus trabalhadores, para poderem manter a prestação de cuidados de saúde com segurança.

Adianta que o controlo da transmissão da Covid-19 só será efectivo com a participação activa, organizada e sustentada de todas as famílias, comunidades, sectores público, privado e sociedade civil para reduzir ao mínimo o risco de propagação da doença, contando para o efeito com aqueles que se encontram na linha da frente deste combate.

“Por isso, e por uma questão de justiça para com os nossos combatentes da linha da frente, devemos ser capazes de reconhecer o papel vital que desempenham para garantir um sistema de saúde funcional e assim salvar vidas. Realçamos e reconhecemos os constrangimentos e dificuldades que enfrentam num ambiente de alta exposição ao vírus no seu dia-a-dia”, reforça a governante.

Sílvia Lutucuta enfatiza ainda a importância das medidas de protecção individual e colectiva para se cortar a cadeia de transmissão, tendo, sempre, em atenção a segurança e protecção dos profissionais de saúde como prioridade do Executivo.

 

Em mensagem em alusão ao Dia Nacional do Médico, a ministra destaca a forma como se dedicam, com visível orgulho e empenho, para aliviar o sofrimento dos pacientes e manter o bem-estar de toda a população, numa manifestação de amor ao próximo e patriotismo que as gerações vindouras seguramente não deixarão de apreciar, reconhecer e valorizar.

“O Ministério da Saúde felicita mais uma vez a todos os médicos e exorta-os a contínua entrega à causa, salvando vidas e evitando a dor e o luto, não deixando ninguém para atrás”, reforça.

Sílvia Lutucuta dá ainda ênfase ao facto de a data ser assinalada numa altura em que a pandemia da Covid-19 está a afectar severamente as famílias, a economia e a sociedade em geral.

“Mais uma vez, e como bons discípulos de Hipócrates são convocados para assumir o seu lugar de destaque nesta luta tenaz e sem tréguas contra um inimigo invisível, consentindo todos os sacrifícios de forma individual e para as suas famílias.  Aproveitamos render a mais sentida homenagem aos nossos médicos que consentiram o sacrifício último dando as próprias vidas na luta contra à pandemia”, avança.

Conforme a ministra, perante este cenário e todos os outros desafios já enfrentados para a melhoria do Sistema Nacional de Saúde, o apoio indelével de todos os profissionais ajudou a fazer as necessárias adaptações rápidas  para garantir a vida de todas as pessoas, em especial dos seus trabalhadores, para poderem manter a prestação de cuidados de saúde com segurança.

Adianta que o controlo da transmissão da Covid-19 só será efectivo com a participação activa, organizada e sustentada de todas as famílias, comunidades, sectores público, privado e sociedade civil para reduzir ao mínimo o risco de propagação da doença, contando para o efeito com aqueles que se encontram na linha da frente deste combate.

“Por isso, e por uma questão de justiça para com os nossos combatentes da linha da frente, devemos ser capazes de reconhecer o papel vital que desempenham para garantir um sistema de saúde funcional e assim salvar vidas. Realçamos e reconhecemos os constrangimentos e dificuldades que enfrentam num ambiente de alta exposição ao vírus no seu dia-a-dia”, reforça a governante.

Sílvia Lutucuta enfatiza ainda a importância das medidas de protecção individual e colectiva para se cortar a cadeia de transmissão, tendo, sempre, em atenção a segurança e protecção dos profissionais de saúde como prioridade do Executivo.