Namibe: Distúrbios mentais apontados como principal causa de mortes por suicídio

Moçâmedes - As doenças mentais relacionadas com a depressão, transtornos bipolar e outras associadas ao abuso excessivo de álcool foram apontadas, hoje, quinta-feira, em Moçâmedes, como principais causas de mortes por suicídio.

O facto foi expresso pelo director Provincial da Saúde, Coríntios Miguel, numa palestra sob o tema “Vamos prevenir o suicídio”,  no âmbito do Dia Internacional de Prevenção do Suicídio, que hoje se assinala.

Apontou ainda aspectos psicológicos, muitos deles caracterizados pela perda da personalidade impulsiva, humor agressivo,  vitima de abuso sexual, físico e desespero.

No seu entender, a maior parte destas mortes acontecem quando o indivíduo está desempregado, isolamento social, desprezo familiares, pessoas vulneráveis, aqueles em situação de rua, entre outras, que olhando na sua condição acham que não há mais solução.

“Pessoas com doenças orgânicas incapacitadas,  dor crônica , doenças neurológicas, traumas medulares, tumores malignos e o HIV/SIDA têm contribuído também  para o cometimento dos suicídios”, acrescentou .

Salientou que mais de 800 pessoas no mundo suicidam-se em cada 40 segundos, afirmando que este mal está entre as dez causas de mortes mais frequentes no planeta,  com maior destaque para os jovens com as idades compreendidas entre 15 a 29 anos.

Em Angola, segundo o responsável, durante o período de 2013 a 2018 foram registados duas  mil 500 mortes por suicídio.

 

 

 

 

O facto foi expresso pelo director Provincial da Saúde, Coríntios Miguel, numa palestra sob o tema “Vamos prevenir o suicídio”,  no âmbito do Dia Internacional de Prevenção do Suicídio, que hoje se assinala.

Apontou ainda aspectos psicológicos, muitos deles caracterizados pela perda da personalidade impulsiva, humor agressivo,  vitima de abuso sexual, físico e desespero.

No seu entender, a maior parte destas mortes acontecem quando o indivíduo está desempregado, isolamento social, desprezo familiares, pessoas vulneráveis, aqueles em situação de rua, entre outras, que olhando na sua condição acham que não há mais solução.

“Pessoas com doenças orgânicas incapacitadas,  dor crônica , doenças neurológicas, traumas medulares, tumores malignos e o HIV/SIDA têm contribuído também  para o cometimento dos suicídios”, acrescentou .

Salientou que mais de 800 pessoas no mundo suicidam-se em cada 40 segundos, afirmando que este mal está entre as dez causas de mortes mais frequentes no planeta,  com maior destaque para os jovens com as idades compreendidas entre 15 a 29 anos.

Em Angola, segundo o responsável, durante o período de 2013 a 2018 foram registados duas  mil 500 mortes por suicídio.