OMA doa sangue ao hospital Pediátrico de Menongue

Menongue - Vinte e cinco bolsas de sangue foram doados quarta-feira, pelas militantes do secretariado provincial da Organização da Mulher Angolana (OMA) no Cuando Cubango, ao hospital Pediátrico de Menongue.

Setenta senhoras foram mobilizadas para doarem, devido a informação da falta de sangue nas principais unidades sanitárias em Menongue, com destaque para o Hospital Pediátrico de Menongue, segundo a secretária da OMA no Cuando Cubango, Rosa Cacuhu.

A escolha pela unidade sanitária surge pelo facto de acolher crianças de diferentes extractos sociais para o tratamento de diversas enfermidades, a par de o gesto acontecer no âmbito das comemorações do 16 de Junho, Dia da Criança Africana.

Fez saber que actos do género serão realizados de três em três meses ou de seis em seis meses naquela no hospital Pediátrico de Menongue, de referência, bem como em outras unidades sanitárias, para suprir as carências das hemoterapias.

Em declarações à ANGOP, a directora da unidade hospitalar, Ilídia Martins Cassoma, considerou de oportuno o gesto porquanto antes do momento da doação o stock da hemoterapia não tinha nenhuma bolsa, uma vez que os principais dadores têm sido familiares dos doentes internados.

Nesta época do ano, as transfusões reduziram consideravelmente, porquanto são feitas semanalmente apenas cinco, contra sete a dez na época da chuva, com principal incidência para malária complicada (que carece de transfusão).

Sem precisar o número de dadores necessários diariamente, para a responsável se o gesto for mensalmente na proporção de 25 dadores, a situação estaria minimizada no Hospital Pediátrico de Menongue, que tem 35 camas, com 45 crianças internadas.

Com a unidade é assegurada por 22 enfermeiros (licenciados), 65 técnicos de enfermagem e sete médicos nacionais de clínica geral.

 

Setenta senhoras foram mobilizadas para doarem, devido a informação da falta de sangue nas principais unidades sanitárias em Menongue, com destaque para o Hospital Pediátrico de Menongue, segundo a secretária da OMA no Cuando Cubango, Rosa Cacuhu.

A escolha pela unidade sanitária surge pelo facto de acolher crianças de diferentes extractos sociais para o tratamento de diversas enfermidades, a par de o gesto acontecer no âmbito das comemorações do 16 de Junho, Dia da Criança Africana.

Fez saber que actos do género serão realizados de três em três meses ou de seis em seis meses naquela no hospital Pediátrico de Menongue, de referência, bem como em outras unidades sanitárias, para suprir as carências das hemoterapias.

Em declarações à ANGOP, a directora da unidade hospitalar, Ilídia Martins Cassoma, considerou de oportuno o gesto porquanto antes do momento da doação o stock da hemoterapia não tinha nenhuma bolsa, uma vez que os principais dadores têm sido familiares dos doentes internados.

Nesta época do ano, as transfusões reduziram consideravelmente, porquanto são feitas semanalmente apenas cinco, contra sete a dez na época da chuva, com principal incidência para malária complicada (que carece de transfusão).

Sem precisar o número de dadores necessários diariamente, para a responsável se o gesto for mensalmente na proporção de 25 dadores, a situação estaria minimizada no Hospital Pediátrico de Menongue, que tem 35 camas, com 45 crianças internadas.

Com a unidade é assegurada por 22 enfermeiros (licenciados), 65 técnicos de enfermagem e sete médicos nacionais de clínica geral.