OMS atribui prémio à família de vacinador falecido em serviço

  • Logomarca da Organização Mundial da saúde (OMS)
Caála - A Organização Mundial da Saúde (OMS) atribuiu neste fim-de-semana, no município da Caála, província do Huambo, o prémio “Herói da Pólio” da CDC Foundation à família de Domingos Tchanga, que faleceu em Julho de 2020 num acidente de viação, durante a campanha de vacinação realizada naquela municipalidade.

O fatídico acidente ocorreu no troço Caála/Cuima, quando o malogrado integrava uma equipa de vacinadores que ia em missão de serviço para aquela última localidade (Cuima), no prosseguimento da campanha contra a poliomielite, promovida pelo Ministério da Saúde em parceria com a OMS.

A referida campanha visava a prevenção e bloqueio de casos de paralisia infantil a nível dos municípios do Huambo, Caála, Cachiungo, Ecunha e Londuimbali.

De 51 anos de idade, Domingos Tchanga era um dos vacinadores que compunha as mil e 137 equipas criadas na província, para imunizar, na altura, um total de 300 mil crianças nos municípios seleccionados.

Como prémio, a família recebeu da OMS dois mil dólares norte-americanos, cedido pela CDC Foundation, em reconhecimento dos esforços e entrega do malogrado, para minimizar os danos não patrimoniais causados com a sua morte.

Na ocasião, o oficial de vigilância da OMS em Angola, Nunes Misé, que orientou o acto de entrega do galardão, disse à imprensa que Domingos Tchanga, para além do seu voluntariado em integrar as equipas de vacinadores, foi distinguido em função da sua dedicação e espírito de  missão que em vida demonstrou no cumprimento das suas tarefas durante a campanha no município da Caála.

Explicou que a modalidade do concurso depende muito dos acontecimentos que
ocorrem no nível de cada país ou região.

"Foi uma situação em que perdemos alguém que estava totalmente engajado na missão nobre de vacinar crianças contra a poliomielite, tendo por isso merecido o prémio", referiu.

Domingos Tchanga, natural da comuna do Cuima, onde também residia, deixa viúva e oito filhos.

O fatídico acidente ocorreu no troço Caála/Cuima, quando o malogrado integrava uma equipa de vacinadores que ia em missão de serviço para aquela última localidade (Cuima), no prosseguimento da campanha contra a poliomielite, promovida pelo Ministério da Saúde em parceria com a OMS.

A referida campanha visava a prevenção e bloqueio de casos de paralisia infantil a nível dos municípios do Huambo, Caála, Cachiungo, Ecunha e Londuimbali.

De 51 anos de idade, Domingos Tchanga era um dos vacinadores que compunha as mil e 137 equipas criadas na província, para imunizar, na altura, um total de 300 mil crianças nos municípios seleccionados.

Como prémio, a família recebeu da OMS dois mil dólares norte-americanos, cedido pela CDC Foundation, em reconhecimento dos esforços e entrega do malogrado, para minimizar os danos não patrimoniais causados com a sua morte.

Na ocasião, o oficial de vigilância da OMS em Angola, Nunes Misé, que orientou o acto de entrega do galardão, disse à imprensa que Domingos Tchanga, para além do seu voluntariado em integrar as equipas de vacinadores, foi distinguido em função da sua dedicação e espírito de  missão que em vida demonstrou no cumprimento das suas tarefas durante a campanha no município da Caála.

Explicou que a modalidade do concurso depende muito dos acontecimentos que
ocorrem no nível de cada país ou região.

"Foi uma situação em que perdemos alguém que estava totalmente engajado na missão nobre de vacinar crianças contra a poliomielite, tendo por isso merecido o prémio", referiu.

Domingos Tchanga, natural da comuna do Cuima, onde também residia, deixa viúva e oito filhos.