PIIM eleva capacidade de internamento do Hospital da Boa Entrada

  • Interior de uma unidade sanitária
Amboim (Gabela) – A reabilitação parcial do Hospital da Boa Entrada (Cadá) está em 96 por cento de execução e eleva a capacidade de internamento de 70 para 120 camas, financiado pelo Plano Integrado de Intervenção nos Municípios.

O PIIM já pagou Kz 108 milhões 781 mil, 324,53, que equivale a 88 por cento, e abarca a reabilitação de duas naves com um valor financeiro global de Kz 135 milhões, 617 mil, 154,53, desta unidade do Cuanza Sul..

A obra foi visitada pelo governador do Cuanza Sul, Job Capapinha, que augura a captação de um novo financiamento para terminar, por completo, a reabilitação do Hospital. As infraestruturas começaram a degradar-se na década de 1990, por falta de manutenção.

Segundo o empreiteiro, “ a obra está praticamente terminada e cingiu-se em revestimentos da cobertura, bases, a louça sanitária (...) com prazo de entrega para 31 de Março”. A obra criou 15 postos de trabalhos.

A directora do Hospital, Ana Maria Palanca, disse que apesar de ser uma reabilitação parcial, a mesmo visa melhorar a qualidade das infra-estruturas para um atendimento mais humanizado.

“ Temos a necessidade de implantar serviços de especialidades como a estomatologia e oftalmologia e isto implica o melhoramento e ampliação das suas infraestruturas, aproveitando todas a partes que estão inoperantes”, destacou a médica.

O Hospital da Boa Entrada conta com quatro médicos e 52 enfermeiros, que prestam serviços de pediatria e clínica geral.

Nas consultas externas são atendidos 80 pacientes por dia, com uma média de 15 casos diários de malária diagnosticados, estando internados 21 doentes.

Fazem parte das principais patologias a malária, tuberculose e as doenças diarreicas agudas.

Historial do Hospital da Boa Entrada

A referida unidade sanitária foi construída em 1948 e pertencia às empresas cafeícolas, prestando serviço de banco de urgência, maternidade, análises clínicas, bloco operatório e outros.

Naquela época, designado Hospital Central da Boa Entrada, controlava 14 postos sanitários e quatro hospitais na zona periférica do município do Amboim, com 264 quilómetros quadrados.

O PIIM no Amboim conta com seis projectos, dos quais três já foram inaugurados (escolas do ensino primário) e aguarda-se pela inauguração do Hospital da Boa Entrada, de um centro de saúde com 30 camas na comuna do Assango, orçado em Kz 163 milhões, 503 mil, 25,70, no qual já foi pago Kz 77 milhões, 824 mil, 852,45, com um grau de execução física de 51 por cento, bem como a aquisição de máquinas.

O PIIM já pagou Kz 108 milhões 781 mil, 324,53, que equivale a 88 por cento, e abarca a reabilitação de duas naves com um valor financeiro global de Kz 135 milhões, 617 mil, 154,53, desta unidade do Cuanza Sul..

A obra foi visitada pelo governador do Cuanza Sul, Job Capapinha, que augura a captação de um novo financiamento para terminar, por completo, a reabilitação do Hospital. As infraestruturas começaram a degradar-se na década de 1990, por falta de manutenção.

Segundo o empreiteiro, “ a obra está praticamente terminada e cingiu-se em revestimentos da cobertura, bases, a louça sanitária (...) com prazo de entrega para 31 de Março”. A obra criou 15 postos de trabalhos.

A directora do Hospital, Ana Maria Palanca, disse que apesar de ser uma reabilitação parcial, a mesmo visa melhorar a qualidade das infra-estruturas para um atendimento mais humanizado.

“ Temos a necessidade de implantar serviços de especialidades como a estomatologia e oftalmologia e isto implica o melhoramento e ampliação das suas infraestruturas, aproveitando todas a partes que estão inoperantes”, destacou a médica.

O Hospital da Boa Entrada conta com quatro médicos e 52 enfermeiros, que prestam serviços de pediatria e clínica geral.

Nas consultas externas são atendidos 80 pacientes por dia, com uma média de 15 casos diários de malária diagnosticados, estando internados 21 doentes.

Fazem parte das principais patologias a malária, tuberculose e as doenças diarreicas agudas.

Historial do Hospital da Boa Entrada

A referida unidade sanitária foi construída em 1948 e pertencia às empresas cafeícolas, prestando serviço de banco de urgência, maternidade, análises clínicas, bloco operatório e outros.

Naquela época, designado Hospital Central da Boa Entrada, controlava 14 postos sanitários e quatro hospitais na zona periférica do município do Amboim, com 264 quilómetros quadrados.

O PIIM no Amboim conta com seis projectos, dos quais três já foram inaugurados (escolas do ensino primário) e aguarda-se pela inauguração do Hospital da Boa Entrada, de um centro de saúde com 30 camas na comuna do Assango, orçado em Kz 163 milhões, 503 mil, 25,70, no qual já foi pago Kz 77 milhões, 824 mil, 852,45, com um grau de execução física de 51 por cento, bem como a aquisição de máquinas.