Médicos internos iniciam formação de especialização

Saurimo – Setenta e seis médicos internos serão formados em diferentes especialidades, nas várias unidades sanitárias da província da Lunda Sul, para melhorar a qualidade do atendimento à população nos níveis primário e secundário.

No total serão 10 especialidades, com destaque para 15 médicos em ginecologia obstetrícia, mesmo número em pediatria, 12 em medicina intensiva, oito em cirurgia geral, sete em ortopedia, medicina interna, neonatologia e anestesia com cinco cada respectivamente, quatro em medicina familiar e três em cirurgia pediátrica.

A província aguarda nos próximos dias a chegada de 20 médicos gerais, o que poderá aumentar o número de internos.

A formação aberta hoje, quinta-feira, terá a duração de três a quatro anos, será orientada por 21 médicos cubanos e três angolanos.

Na abertura, o vice-governador para o sector Técnico e Infra-Estruturas da Lunda Sul, Evanerson Kaputu, disse que o governo definiu que a política nacional de formação de quadros tem como desígnio, entre outros, apoiar o desenvolvimento quantitativo e qualitativo do potencial recurso humano da região Leste de Angola.

O governante apelou aos estudantes no sentido de materializarem os conhecimentos a adquirir ao longo da formação, com vista a melhorar a prestação de serviços nos seus locais de trabalho.

A Lunda Sul conta com um total de 105 unidades sanitárias, entre hospitais, centros e postos de saúde, e 78 médicos (quatro expatriados), 874 enfermeiros e 138 técnicos de diagnóstico terapêutica.

 

 

No total serão 10 especialidades, com destaque para 15 médicos em ginecologia obstetrícia, mesmo número em pediatria, 12 em medicina intensiva, oito em cirurgia geral, sete em ortopedia, medicina interna, neonatologia e anestesia com cinco cada respectivamente, quatro em medicina familiar e três em cirurgia pediátrica.

A província aguarda nos próximos dias a chegada de 20 médicos gerais, o que poderá aumentar o número de internos.

A formação aberta hoje, quinta-feira, terá a duração de três a quatro anos, será orientada por 21 médicos cubanos e três angolanos.

Na abertura, o vice-governador para o sector Técnico e Infra-Estruturas da Lunda Sul, Evanerson Kaputu, disse que o governo definiu que a política nacional de formação de quadros tem como desígnio, entre outros, apoiar o desenvolvimento quantitativo e qualitativo do potencial recurso humano da região Leste de Angola.

O governante apelou aos estudantes no sentido de materializarem os conhecimentos a adquirir ao longo da formação, com vista a melhorar a prestação de serviços nos seus locais de trabalho.

A Lunda Sul conta com um total de 105 unidades sanitárias, entre hospitais, centros e postos de saúde, e 78 médicos (quatro expatriados), 874 enfermeiros e 138 técnicos de diagnóstico terapêutica.