Autoridades lamentam negligência às medidas de biossegurança

  • Movimento normal dos populares na cidade Luanda
Lubango – O departamento provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias da Huíla apelou hoje, terça-feira, no Lubango, o reforço das medidas de biossegurança contra à Covid-19, preocupada com a negligência que se observa na via pública.

Os casos mais flagrantes são não usar ou o uso incorrecto da máscara facial, o afrouxamento da obrigação de higienização das mãos nos estabelecimentos públicos e o desrespeito ao distanciamento físico em espaços comerciais.

A preocupação foi manifestada pelo porta-voz do departamento de Saúde Pública, Jeremias Kayeye, afirmando que continua a observar-se  filas nos bancos comerciais, nos serviços de identificação e conservatórias, entre outros, sem o distanciamento físico entre as pessoas.

“A população deve continuar a observar as medidas de biossegurança como a lavagem das mãos com água e sabão, higienização com álcool em gel, assim como o uso de máscaras em qualquer lugar frequentado”, apelou.

Os dois primeiros casos da doença na Huíla ocorreram em Agosto de 2020. Actualmente a província tem 390 casos confirmados da doença, destes 294 recuperados, 91 activos e 10 óbitos.

Os casos mais flagrantes são não usar ou o uso incorrecto da máscara facial, o afrouxamento da obrigação de higienização das mãos nos estabelecimentos públicos e o desrespeito ao distanciamento físico em espaços comerciais.

A preocupação foi manifestada pelo porta-voz do departamento de Saúde Pública, Jeremias Kayeye, afirmando que continua a observar-se  filas nos bancos comerciais, nos serviços de identificação e conservatórias, entre outros, sem o distanciamento físico entre as pessoas.

“A população deve continuar a observar as medidas de biossegurança como a lavagem das mãos com água e sabão, higienização com álcool em gel, assim como o uso de máscaras em qualquer lugar frequentado”, apelou.

Os dois primeiros casos da doença na Huíla ocorreram em Agosto de 2020. Actualmente a província tem 390 casos confirmados da doença, destes 294 recuperados, 91 activos e 10 óbitos.