Secretário de Estado da saúde apela à doação voluntária de sangue

  • Acto Do Dia Do Dador Voluntario De Sangue
Luanda – O secretário de Estado para a área Hospitalar, Leonardo Inocêncio Europeu, apelou segunda-feira, em Luanda, a sociedade a doar voluntariamente sangue, para salvar vidas humanas.

O responsável fez tal apelo no acto central das comemorações do Dia Mundial do Dador de Sangue,  comemorado sob o lema “Doe sangue e faça o coração do mundo bater”.

Segundo Leonardo Inocêncio, em 2020, foram registados 154 mil dadores, dos quais 11 por cento voluntários, números que preocupam o Instituto Nacional de Sangue, porque, em períodos não endémicos, faz mais de 50 transfusões solicitadas.

Para se reverter o quadro, segundo Leonardo Inocêncio, dos 154 mil são necessários 89 por cento de dadores voluntários, para que se tenha as reservas de sangue necessárias.

Realçou a importância de se continuar a trabalhar, apelando a juventude e não só para doarem sangue e assim evitar o longo tempo de espera que estão submetidos alguns pacientes nas unidades hospitalares.

“Isto tem sido um desafio para o instituto, por não contar com um público portador de sangue voluntário constantes, que possa garantir a sustentabilidade de reposição de stocks, no Instituto Nacional de Sangue, que é o órgão reitor da terapia de sangue”, frisou.

Salientou um programa em curso, que consiste em apetrechar as unidades sanitárias de todo país, principalmente os centros de hemoterapia, com recursos humanos capazes de diagnosticar, tratar e disponibilizar o sangue com a maior celeridade, para beneficiar as populações.

O secretário de Estado disse não haver dúvidas ser necessária uma transfusão de sangue, ao nível das unidades sanitárias, por haver muitos acidentes de viação, pacientes com hemorragias por complicações de parto, anemias falciforme, severa e outras doenças.

Entre outras doenças destacou também as leucemias e tumores, que têm sido também razões das transfusões nas unidades sanitárias, além de pacientes em hemodialise e em casos de cirurgia.

Por seu turno, Carlos Octávio, de 85 anos de idade, já tendo doado mais de 100 vezes, recebeu do secretário de estado, Leonardo Europeu, uma estatueta em homenagem pelo percurso feito durante a sua participação na doação de sangue.Na cerimónia foram homenageados outros dadores.

Informou ter começado aos 14 anos de idade e sente-se bem a salvar vidas, estando disposto a continuar com a actividade, tendo aconselhado os jovens a abraçarem a causa, que muito ajuda a sociedade.

Já a directora do Instituto Nacional de Sangue, Deodete Machado, considerou os dadores como pessoas especiais, já que partilham a vida, educam e ensinam com muito amor.

Informou que, em função do surto de anemias que surgiu em alguns pontos do país, causadas pela malária, não conseguem atender as solicitações imediatas proveniente dos vários hospitais.

Enquanto isso, o bispo da Diocese de Viana, Dom Emílio Sumbelelo, anunciou que, a partir das várias paróquias, serão criados núcleos do dador de sangue que pontualmente irão prestar apoio ao Instituto Nacional de Sangue.

O Dia Mundial do Dador de Sangue foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em Maio de 2005.

O responsável fez tal apelo no acto central das comemorações do Dia Mundial do Dador de Sangue,  comemorado sob o lema “Doe sangue e faça o coração do mundo bater”.

Segundo Leonardo Inocêncio, em 2020, foram registados 154 mil dadores, dos quais 11 por cento voluntários, números que preocupam o Instituto Nacional de Sangue, porque, em períodos não endémicos, faz mais de 50 transfusões solicitadas.

Para se reverter o quadro, segundo Leonardo Inocêncio, dos 154 mil são necessários 89 por cento de dadores voluntários, para que se tenha as reservas de sangue necessárias.

Realçou a importância de se continuar a trabalhar, apelando a juventude e não só para doarem sangue e assim evitar o longo tempo de espera que estão submetidos alguns pacientes nas unidades hospitalares.

“Isto tem sido um desafio para o instituto, por não contar com um público portador de sangue voluntário constantes, que possa garantir a sustentabilidade de reposição de stocks, no Instituto Nacional de Sangue, que é o órgão reitor da terapia de sangue”, frisou.

Salientou um programa em curso, que consiste em apetrechar as unidades sanitárias de todo país, principalmente os centros de hemoterapia, com recursos humanos capazes de diagnosticar, tratar e disponibilizar o sangue com a maior celeridade, para beneficiar as populações.

O secretário de Estado disse não haver dúvidas ser necessária uma transfusão de sangue, ao nível das unidades sanitárias, por haver muitos acidentes de viação, pacientes com hemorragias por complicações de parto, anemias falciforme, severa e outras doenças.

Entre outras doenças destacou também as leucemias e tumores, que têm sido também razões das transfusões nas unidades sanitárias, além de pacientes em hemodialise e em casos de cirurgia.

Por seu turno, Carlos Octávio, de 85 anos de idade, já tendo doado mais de 100 vezes, recebeu do secretário de estado, Leonardo Europeu, uma estatueta em homenagem pelo percurso feito durante a sua participação na doação de sangue.Na cerimónia foram homenageados outros dadores.

Informou ter começado aos 14 anos de idade e sente-se bem a salvar vidas, estando disposto a continuar com a actividade, tendo aconselhado os jovens a abraçarem a causa, que muito ajuda a sociedade.

Já a directora do Instituto Nacional de Sangue, Deodete Machado, considerou os dadores como pessoas especiais, já que partilham a vida, educam e ensinam com muito amor.

Informou que, em função do surto de anemias que surgiu em alguns pontos do país, causadas pela malária, não conseguem atender as solicitações imediatas proveniente dos vários hospitais.

Enquanto isso, o bispo da Diocese de Viana, Dom Emílio Sumbelelo, anunciou que, a partir das várias paróquias, serão criados núcleos do dador de sangue que pontualmente irão prestar apoio ao Instituto Nacional de Sangue.

O Dia Mundial do Dador de Sangue foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em Maio de 2005.