Supervisores da malária abordam sistema informático de saúde

  • Supervisores estatístico do Programa de Luta contra à Malária no Cunene actualizam conhecimentos
Ondjiva – Os supervisores municipais e técnicos de estatísticas do Programa de Luta Contra à Malária na província do Cunene estão a reforçar conhecimentos em matéria de sistema de Informação de Saúde, para o controlo e prevenção da doença.

No primeiro trimestre deste ano, o gabinete provincial da Saúde no Cunene registou 145 mil 227 casos de malária, dos quais 25 resultaram em óbito, menos 245 mil 917 casos em relação ao mesmo período de 2020, durante o qual faleceram 12 pessoas.

A acção formativa, promovida pelo Ministério da Saúde, visa munir de conhecimentos os supervisores e estatísticos dos municípios do Cuanhama, Namacunde, Ombadja e Cahama, de modo a melhorar os indicadores e tratamento dos casos de malária.

Em declarações à ANGOP, o supervisor do Programa de Controlo da Malária do Cunene, André Domingos, solicitou aos formandos tirarem proveito dos temas em abordagem, para actuarem com eficácia no acompanhamento e tratamento da doença nas comunidades.

Lembrou que o tratamento da malária deve ser eficaz, para não criar resistência no organismo, sobretudo em crianças menores de cinco anos de idade.

André Domingos disse que a malária, por causar muitas vítimas, merece maior atenção nas unidades sanitárias, e tem sido um dos grandes objectivos do sector da saúde implementar programas que concorrem para a redução dos casos e mortes.

No quadro do combate à malária, as autoridades sanitárias e parceiros na província estão  engajados em acções de  distribuição de mosquiteiros, pulverização intra e extra-domiciliar, visando a eliminação de focos de mosquitos.

Durante cinco dias, os formandos vão abordar temas relacionados com os “Métodos de supervisão”, “analise”,  “Modo de inserção de dados”, bem como terão aulas práticas.

No primeiro trimestre deste ano, o gabinete provincial da Saúde no Cunene registou 145 mil 227 casos de malária, dos quais 25 resultaram em óbito, menos 245 mil 917 casos em relação ao mesmo período de 2020, durante o qual faleceram 12 pessoas.

A acção formativa, promovida pelo Ministério da Saúde, visa munir de conhecimentos os supervisores e estatísticos dos municípios do Cuanhama, Namacunde, Ombadja e Cahama, de modo a melhorar os indicadores e tratamento dos casos de malária.

Em declarações à ANGOP, o supervisor do Programa de Controlo da Malária do Cunene, André Domingos, solicitou aos formandos tirarem proveito dos temas em abordagem, para actuarem com eficácia no acompanhamento e tratamento da doença nas comunidades.

Lembrou que o tratamento da malária deve ser eficaz, para não criar resistência no organismo, sobretudo em crianças menores de cinco anos de idade.

André Domingos disse que a malária, por causar muitas vítimas, merece maior atenção nas unidades sanitárias, e tem sido um dos grandes objectivos do sector da saúde implementar programas que concorrem para a redução dos casos e mortes.

No quadro do combate à malária, as autoridades sanitárias e parceiros na província estão  engajados em acções de  distribuição de mosquiteiros, pulverização intra e extra-domiciliar, visando a eliminação de focos de mosquitos.

Durante cinco dias, os formandos vão abordar temas relacionados com os “Métodos de supervisão”, “analise”,  “Modo de inserção de dados”, bem como terão aulas práticas.