Covid-19: Escola primária do Ngoma recebe material de biossegurança

  • Dístico do Covid-19 Novo Coronavírus
Mbanza Kongo – Mil e 332 alunos da escola primária nº 73, localizada na zona do Ngoma, bairro 11 de Novembro, município de Mbanza Kongo, província do Zaire, beneficiaram esta quinta-feira de material de biossegurança, entregue pela Associação de Professores Angolanos (APA).

Entre o material consta dois reservatórios de água com capacidade de 150 litros cada, três caixas de sabão azul, igual número de caixas de lixívia e duas caixas de álcool em gel.

Com 11 salas de aulas, o empreendimento escolar está desprovido de água da rede pública, o que tem obrigado os discentes e docentes (25 professores) desta instituição a percorrem cerca de 200 metros em busca de água em cacimbas.

O presidente da APA no Zaire, Miguel Pedro, disse que as dificuldades de higienização encontradas numa visita efectuada em Outubro deste ano, motivou os membros da associação a doarem este material à aludida escola.

Sem avançar números, a fonte disse que a falta de água da rede pública são entre várias dificuldades que muitas escolas do primeiro nível ao II ciclo do ensino secundário enfrentam nesta parcela do território nacional.

“No quadro da nossa missão de acompanhamento da actividade lectiva, notamos em várias escolas, sobretudo primárias, a falta de água canalizada da rede pública”, enfatizou.

O director do Gabinete Provincial da Educação, José Luís Amélia, que testemunhou o acto da entrega do material agradeceu o gesto da APA e pediu a demais organizações a seguirem esse exemplo.

Criada em 1985, a APA instalou-se na província do Zaire um ano depois, ou seja em 1986.

Conta com 300 associados distribuídos pelos municípios de Mbanza Kongo, Soyo, Cuimba, Nzeto, Tomboco e Nóqui.

 

 

Entre o material consta dois reservatórios de água com capacidade de 150 litros cada, três caixas de sabão azul, igual número de caixas de lixívia e duas caixas de álcool em gel.

Com 11 salas de aulas, o empreendimento escolar está desprovido de água da rede pública, o que tem obrigado os discentes e docentes (25 professores) desta instituição a percorrem cerca de 200 metros em busca de água em cacimbas.

O presidente da APA no Zaire, Miguel Pedro, disse que as dificuldades de higienização encontradas numa visita efectuada em Outubro deste ano, motivou os membros da associação a doarem este material à aludida escola.

Sem avançar números, a fonte disse que a falta de água da rede pública são entre várias dificuldades que muitas escolas do primeiro nível ao II ciclo do ensino secundário enfrentam nesta parcela do território nacional.

“No quadro da nossa missão de acompanhamento da actividade lectiva, notamos em várias escolas, sobretudo primárias, a falta de água canalizada da rede pública”, enfatizou.

O director do Gabinete Provincial da Educação, José Luís Amélia, que testemunhou o acto da entrega do material agradeceu o gesto da APA e pediu a demais organizações a seguirem esse exemplo.

Criada em 1985, a APA instalou-se na província do Zaire um ano depois, ou seja em 1986.

Conta com 300 associados distribuídos pelos municípios de Mbanza Kongo, Soyo, Cuimba, Nzeto, Tomboco e Nóqui.