Governador relança desafio da humanização dos serviços públicos

  • Governador da província do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia
Mbanza Kongo- O governador do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia, desafiou esta segunda-feira, em Mbanza Kongo, os gestores da Saúde e da Educação a vencerem os desafios da humanização dos serviços prestados à população.

Após a cerimónia de empossamento dos novos directores administrativos do Hospital Provincial de Mbanza Kongo e do municipal do Soyo, o governante reiterou que a melhoria na prestação dos serviços públicos aos cidadãos recomenda-se em todos os sectores públicos, com maior ênfase na saúde e na educação.

“Pensamos que, com a vossa nomeação observaremos melhorias no atendimento hospitalar a nível dos dois hospitais, nos próximos tempos, no que diz respeito à gestão interna e atendimento dos utentes”, sublinhou.

Para os cargos de directores administrativos dos hospitais municipais do Soyo e de Mbanza Congo foram empossados Cavungo Nzuzi Júnior e Mansensa Manseka, respectivamente.

Melhoria da gestão hospitalar

Em declarações à imprensa, a nova directora administrativa do hospital provincial do Zaire, em Mbanza Kongo, Mansensa Manseka, assegurou que tudo fará a fim de contribuir para uma boa gestão logística desta unidade sanitária, que possui 149 camas.

Questionada sobre a falta de reagentes nos laboratórios clínicos do hospital, principalmente para o diagnóstico da febre tifóide, a responsável garantiu que a direcção está em contacto com os fornecedores, em Luanda, para se ultrapassar esta situação.

Quanto à fábrica de oxigénio medicinal, que ainda aguarda pela instalação dos compressores para a retoma do seu funcionamento, Mansensa Manseka garantiu a chegada de técnicos da capital do país, a qualquer momento.

Informou que doenças como a malária, febre tifóide e a anemia são as que mais se registam no hospital provincial do Zaire (Mbanza Congo).

A anemia, explicou, afecta crianças menores de cinco anos.

 

Após a cerimónia de empossamento dos novos directores administrativos do Hospital Provincial de Mbanza Kongo e do municipal do Soyo, o governante reiterou que a melhoria na prestação dos serviços públicos aos cidadãos recomenda-se em todos os sectores públicos, com maior ênfase na saúde e na educação.

“Pensamos que, com a vossa nomeação observaremos melhorias no atendimento hospitalar a nível dos dois hospitais, nos próximos tempos, no que diz respeito à gestão interna e atendimento dos utentes”, sublinhou.

Para os cargos de directores administrativos dos hospitais municipais do Soyo e de Mbanza Congo foram empossados Cavungo Nzuzi Júnior e Mansensa Manseka, respectivamente.

Melhoria da gestão hospitalar

Em declarações à imprensa, a nova directora administrativa do hospital provincial do Zaire, em Mbanza Kongo, Mansensa Manseka, assegurou que tudo fará a fim de contribuir para uma boa gestão logística desta unidade sanitária, que possui 149 camas.

Questionada sobre a falta de reagentes nos laboratórios clínicos do hospital, principalmente para o diagnóstico da febre tifóide, a responsável garantiu que a direcção está em contacto com os fornecedores, em Luanda, para se ultrapassar esta situação.

Quanto à fábrica de oxigénio medicinal, que ainda aguarda pela instalação dos compressores para a retoma do seu funcionamento, Mansensa Manseka garantiu a chegada de técnicos da capital do país, a qualquer momento.

Informou que doenças como a malária, febre tifóide e a anemia são as que mais se registam no hospital provincial do Zaire (Mbanza Congo).

A anemia, explicou, afecta crianças menores de cinco anos.