Acção social quer mais entrega da sociedade na protecção das crianças

Saurimo – A directora do gabinete provincial da acção social e igualdade do género, família e promoção da mulher na Lunda sul, Luísa Martins, instou hoje, terça-feira, a sociedade civil a se engajarem mais na protecção das crianças, com vista a permitir um crescimento saudável.

O apelo foi feito no quadro do acto comemorativo do dia da criação do Instituto Nacional da Criança (INAC), que se assinala a 16 do mês corrente.

A responsável reforçou que tal atitude contribuirá na redução de vários caos de violência doméstica e outros males contra a criança, razão pela qual solicitou as igrejas, autoridades tradicionais, organizações juvenis e filantrópicas que levem acções de sensibilização junto das comunidades, para alertar os perigos deste comportamento e incentivar a cultura de denúncias destes males.

Luísa Martins afirmou ser necessário que os encarregados de educação e pais a dialogarem mais com os petizes, incentivando-os à escola para que possam no futuro contribuir positivamente na reconstrução do país.

Frisou que o Governo da Lunda Sul continuará a envidar esforços na construção de infra-estruturas de ensino, saúde, lazer, para garantir uma vida sadia as crianças da região.

Sem revelar dados comparativos, afirmou que de Janeiro a presente data a instituição que dirige registou 560 casos de exploração de menores.

O INAC na Lunda Sul necessita de mais técnicos para corresponder a demanda, transporte e material informático.

O apelo foi feito no quadro do acto comemorativo do dia da criação do Instituto Nacional da Criança (INAC), que se assinala a 16 do mês corrente.

A responsável reforçou que tal atitude contribuirá na redução de vários caos de violência doméstica e outros males contra a criança, razão pela qual solicitou as igrejas, autoridades tradicionais, organizações juvenis e filantrópicas que levem acções de sensibilização junto das comunidades, para alertar os perigos deste comportamento e incentivar a cultura de denúncias destes males.

Luísa Martins afirmou ser necessário que os encarregados de educação e pais a dialogarem mais com os petizes, incentivando-os à escola para que possam no futuro contribuir positivamente na reconstrução do país.

Frisou que o Governo da Lunda Sul continuará a envidar esforços na construção de infra-estruturas de ensino, saúde, lazer, para garantir uma vida sadia as crianças da região.

Sem revelar dados comparativos, afirmou que de Janeiro a presente data a instituição que dirige registou 560 casos de exploração de menores.

O INAC na Lunda Sul necessita de mais técnicos para corresponder a demanda, transporte e material informático.