Administração do Cacolo desembolsa AKZ 800 milhões para construção da ETA

Cacolo – Oitocentos milhões de Kwanzas é o valor que a Administração Municipal do Cacolo, província da Lunda Sul, vai desembolsar na construção de uma Estação de Tratamento de Água (ETA), com vista a minimizar a problemática da água nas comunidades.

Em declarações à ANGOP, após o término da reunião do Conselho de Auscultação às Comunidades, o administrador municipal de Cacolo, Adérito Cahanga, referiu que o projecto terá uma capacidade de mil metros cúbicos e com 70 mil ligações domiciliárias.

As obras, incluidas no Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), terão início na segunda quinzena do ano em curso.

Segundo o responsa´vel, para minimizar a carência de água no município,  a Administração Municipal tem disponibilizado camiões cisternas e alguns chafarizes que garantem oa distribuição a 28 mil habitantes da sede, no âmbito do programa de combate à pobreza.

Adérito Cahanga informou que a municipalidade se debate ainda com problemas da energia eléctrica, devido a escassez do combustível (gasóleo e gasolina).

Por este facto, solicita as entidades competentes a reverem a situação da distribuição do combustível pontualmente, para que os serviços administrativos possam funcionar com normalidade.

O PIIM no Cacolo já criou 202 postos de trabalho directo e 130 indirectos, com maior incidência para os jovens locais, número que poderá ascender, tendo em conta os vários projectos em carteira na circunscrição.

O município de Cacolo dista a 141 quilómetros da sede de Saurimo, com  uma extensão territorial de 15 mil e 402 quilómetros quadrados, conta com mais de 36 mil 185 habitantes que se dedicam essencialmente à agricultura e ao comércio informal.

 

Em declarações à ANGOP, após o término da reunião do Conselho de Auscultação às Comunidades, o administrador municipal de Cacolo, Adérito Cahanga, referiu que o projecto terá uma capacidade de mil metros cúbicos e com 70 mil ligações domiciliárias.

As obras, incluidas no Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), terão início na segunda quinzena do ano em curso.

Segundo o responsa´vel, para minimizar a carência de água no município,  a Administração Municipal tem disponibilizado camiões cisternas e alguns chafarizes que garantem oa distribuição a 28 mil habitantes da sede, no âmbito do programa de combate à pobreza.

Adérito Cahanga informou que a municipalidade se debate ainda com problemas da energia eléctrica, devido a escassez do combustível (gasóleo e gasolina).

Por este facto, solicita as entidades competentes a reverem a situação da distribuição do combustível pontualmente, para que os serviços administrativos possam funcionar com normalidade.

O PIIM no Cacolo já criou 202 postos de trabalho directo e 130 indirectos, com maior incidência para os jovens locais, número que poderá ascender, tendo em conta os vários projectos em carteira na circunscrição.

O município de Cacolo dista a 141 quilómetros da sede de Saurimo, com  uma extensão territorial de 15 mil e 402 quilómetros quadrados, conta com mais de 36 mil 185 habitantes que se dedicam essencialmente à agricultura e ao comércio informal.