Administração do Pango Aluquém leva empreiteira a tribunal

Caxito - A administração municipal do Pango Aluquém, na província do Bengo, vai levar ao tribunal a empresa Wolfen-Group, por alegado incumprimento no contrato de construção de uma escola de sete salas, na localidade da Boa Entrada, adjudicada há oito meses.

Trata-se de uma obra enquadrada no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), consignada à empresa em Agosto de 2020.

Em declarações à ANGOP, o administrador  municipal do Pango Aluquém, Sebastião José Falo, informou que  no acto de consignação da obra  a empreiteira  recebeu cerca de 17 milhões de kwanzas referente a 15 por cento do valor inicial (Akz 118.998.553 milhões) .

"Apesar de receber este valor (17 milhões), a empresa nunca se mostrou disponível  em  arrancar com as obras", sublinhou.

Dada a situação, disse, a administração local rescindiu o contrato com a empresa.

Neste momento, o caso encontra-se sob alçada da Procuradoria-Geral da República (PGR)  que,  por sua vez, vai encaminhar  nos próximos dias ao Tribunal de Comarca do Dande.

Já a representante da empresa Wolfen-Group, Eulália Afonso, informou que depois  de receber os primeiros 15 por cento do orçamento e ter efectuado trabalhos de terraplanagem no local inicialmente indicado pela administração municipal esta (administração) alterou o projecto para um outro espaço, por considerar uma zona acidentada.

"O novo espaço merecia a intervenção de máquinas para a desmatação e nivelamento,  trabalhos que não constavam no projecto inicial", sublinhou.

Por esta razão, a empresa solicitou  a revisão do orçamento da empreitada e alteração do projecto.

A falta de consenso fez com que a administração municipal reincidisse o acordo.

O município do Pango Aluquém tem inscrito no PIIM sete projectos.

Destes, quatro estão em execução, sendo dois ligados ao sector da educação (construção de raiz, reabilitação, ampliação e apetrechamento de escolas) e dois do domínio da saúde (reabilitação do hospital municipal e direcção local da saúde).

Os projectos estão orçados em cerca de 580 milhões 60 mil e 976 kwanzas.  Deste valor  foram já gastos na execução de quatro obras,  252 milhões 734 mil e 768 kwanzas.

 

 

 

 

Trata-se de uma obra enquadrada no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), consignada à empresa em Agosto de 2020.

Em declarações à ANGOP, o administrador  municipal do Pango Aluquém, Sebastião José Falo, informou que  no acto de consignação da obra  a empreiteira  recebeu cerca de 17 milhões de kwanzas referente a 15 por cento do valor inicial (Akz 118.998.553 milhões) .

"Apesar de receber este valor (17 milhões), a empresa nunca se mostrou disponível  em  arrancar com as obras", sublinhou.

Dada a situação, disse, a administração local rescindiu o contrato com a empresa.

Neste momento, o caso encontra-se sob alçada da Procuradoria-Geral da República (PGR)  que,  por sua vez, vai encaminhar  nos próximos dias ao Tribunal de Comarca do Dande.

Já a representante da empresa Wolfen-Group, Eulália Afonso, informou que depois  de receber os primeiros 15 por cento do orçamento e ter efectuado trabalhos de terraplanagem no local inicialmente indicado pela administração municipal esta (administração) alterou o projecto para um outro espaço, por considerar uma zona acidentada.

"O novo espaço merecia a intervenção de máquinas para a desmatação e nivelamento,  trabalhos que não constavam no projecto inicial", sublinhou.

Por esta razão, a empresa solicitou  a revisão do orçamento da empreitada e alteração do projecto.

A falta de consenso fez com que a administração municipal reincidisse o acordo.

O município do Pango Aluquém tem inscrito no PIIM sete projectos.

Destes, quatro estão em execução, sendo dois ligados ao sector da educação (construção de raiz, reabilitação, ampliação e apetrechamento de escolas) e dois do domínio da saúde (reabilitação do hospital municipal e direcção local da saúde).

Os projectos estão orçados em cerca de 580 milhões 60 mil e 976 kwanzas.  Deste valor  foram já gastos na execução de quatro obras,  252 milhões 734 mil e 768 kwanzas.