ADRA insere projectos de quatro municípios do Huambo no OGE/2022

Caála - Oito projectos de impacto sócio-ecónomico dos municípios do Bailundo, Caála, Huambo e Longonjo, foram inseridos no Orçamento Geral do Estado (OGE/2022), depois da recolha de contribuições dos habitantes destas municipalidades, apurou a Angop, nesta quinta-feira.

Trata-se de projectos ligados ao alargamento dos pontos de abastecimento de água potável, aquisição de medicamentos para as unidades sanitárias, construção de escolas com 12 salas de aula nas comunidades rurais e subvenção dos preços dos fertilizantes para o fomento agrícola, numa iniciativa da organização não-governamental angolana Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) antena Huambo

Em declarações à Angop, a assistente-geral da ADRA antena Huambo, Maria Firmino, valorizou que a recolha de contribuições foi decisiva para a concretização do processo de elaboração do orçamento participativo nestes municípios supervisionados pela instituição.

Esclareceu que o orçamento participativo é uma actividade que permite a recolha de propostas, onde os membros das comunidades identificam as principais necessidades em busca do desenvolvimento no domínio social e económico.

A responsável informou que o processo contou com a participação de centenas de membros das comunidades dos municípios do Bailundo, Caála, Huambo e Longonjo, para dar corpo aos projectos seleccionados como prioritários para o bem-estar da população.

Nestes encontros, conforme Maria Firmino, participaram directores municipais, administradores comunais, associações e cooperativas agrícolas, entidades eclesiásticas, autoridades tradicionais e membros de partidos políticos com assento Parlamentar.  

Informou que a organização havia elaborado 11 projectos de natureza sócio-ecónomica, oito dos quais foram apurados e inseridos no OGE/2022.

Maria Firmo fez saber que estas actividades enquadram-se na estratégia de elaboração do orçamento participativo, institucionalizado pelo Decreto Presidencial nº 235/19, de 22 de Julho, como um mecanismo de promoção da cidadania, da participação directa dos cidadãos na elaboração, fiscalização e acompanhamento na execução do respectivo orçamento a nível dos municípios. 

 

 

 

 

Trata-se de projectos ligados ao alargamento dos pontos de abastecimento de água potável, aquisição de medicamentos para as unidades sanitárias, construção de escolas com 12 salas de aula nas comunidades rurais e subvenção dos preços dos fertilizantes para o fomento agrícola, numa iniciativa da organização não-governamental angolana Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) antena Huambo

Em declarações à Angop, a assistente-geral da ADRA antena Huambo, Maria Firmino, valorizou que a recolha de contribuições foi decisiva para a concretização do processo de elaboração do orçamento participativo nestes municípios supervisionados pela instituição.

Esclareceu que o orçamento participativo é uma actividade que permite a recolha de propostas, onde os membros das comunidades identificam as principais necessidades em busca do desenvolvimento no domínio social e económico.

A responsável informou que o processo contou com a participação de centenas de membros das comunidades dos municípios do Bailundo, Caála, Huambo e Longonjo, para dar corpo aos projectos seleccionados como prioritários para o bem-estar da população.

Nestes encontros, conforme Maria Firmino, participaram directores municipais, administradores comunais, associações e cooperativas agrícolas, entidades eclesiásticas, autoridades tradicionais e membros de partidos políticos com assento Parlamentar.  

Informou que a organização havia elaborado 11 projectos de natureza sócio-ecónomica, oito dos quais foram apurados e inseridos no OGE/2022.

Maria Firmo fez saber que estas actividades enquadram-se na estratégia de elaboração do orçamento participativo, institucionalizado pelo Decreto Presidencial nº 235/19, de 22 de Julho, como um mecanismo de promoção da cidadania, da participação directa dos cidadãos na elaboração, fiscalização e acompanhamento na execução do respectivo orçamento a nível dos municípios.