Huambo: ADRA investe USD 900 mil para bem-estar de famílias

  • Huambo: Directora da ADRA, Cidália Gomes
Huambo – Novecentos mil dólares norte-americanos (USD) foram investidos, em 2020, pela Organização Não-governamental Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) na província do Huambo, em vários projectos sociais, destinados ao melhoramento do bem-estar de mil e 500 famílias camponesas.

Em 2019, esta organização aplicou, com o mesmo propósito, 398 mil dólares norte-americanos.

Ao confirmar a informação quinta-feira, à ANGOP, a directora da ADRA – Antena Huambo, Cidália Gomes, disse que o montante foi aplicado em programas de desenvolvimento local sustentável, ligados à produção agro-pecuária, mitigação dos efeitos das alterações climáticas, saneamento básico, saúde pública e poder local.

De igual modo, referiu que os valores serviram, entre outras acções, para a execução dos programas de cidadania e advocacia social, participação cívica dos cidadãos, direitos das mulheres, oportunidade e direito da juventude, direito à terra, bem como em questões sobre a influência das políticas públicas.

Prosseguiu que os projectos desenvolvidos, com base nas actividades alinhadas ao plano estratégico 2018/2022 da ADRA, beneficiaram produtores agrícolas dos municípios do Bailundo, Caála e Longonjo.

Esses produtores, segundo Cidália Gomes, além das acções de capacitação, foram apoiados com 24 toneladas de "adubo 12/24/12", duas de "adubo simples", bem como de quantidade não especificadas de sementes de feijão e variadas hortícolas, entre outros meios para a prática de agricultura.

Na área da agricultura, destacou ainda a entrega de 60 cabeças de gado caprino a quatro associações e duas cooperativas, visando o fomento da pecuária e o combate à pobreza.

Disse que a ADRA investiu, igualmente, 15 milhões de Kwanzas na criação de seis cooperativas agrícolas e fomento da actividade económica das comunidades, através das caixas comunitárias, que permitiram apoiar 583 produtores dos três municípios.

No domínio da educação ambiental, Cidália Gomes disse terem desenvolvido acções de sensibilização nas comunidades dos municípios em referência, onde quatro mil plantas foram distribuídas para o repovoamento florestal.

Conforme a directora da ADRA – Antena Huambo, estas actividades foram financiadas pela B.P Angola, Solidariedade Prática da Suécia, Pão Para Todos, União Europeia, Exxonmobil, Standard Bank e pela Embaixada Francesa

Para este ano, a responsável informou que a organização pretende investir perto de um milhão de dólares norte-americanos, na continuidade das acções de 2020 e, ao mesmo tempo, reforçar as medidas de biossegurança e segurança nas comunidades, no quadro das medidas de prevenção e combate à Covid-19.

Criada em 1990, a ADRA é uma organização não-governamental vocacionada a promover o desenvolvimento democrático e sustentável, social, económico e ambiental do país, bem como a reconciliação nacional.

Em 2019, esta organização aplicou, com o mesmo propósito, 398 mil dólares norte-americanos.

Ao confirmar a informação quinta-feira, à ANGOP, a directora da ADRA – Antena Huambo, Cidália Gomes, disse que o montante foi aplicado em programas de desenvolvimento local sustentável, ligados à produção agro-pecuária, mitigação dos efeitos das alterações climáticas, saneamento básico, saúde pública e poder local.

De igual modo, referiu que os valores serviram, entre outras acções, para a execução dos programas de cidadania e advocacia social, participação cívica dos cidadãos, direitos das mulheres, oportunidade e direito da juventude, direito à terra, bem como em questões sobre a influência das políticas públicas.

Prosseguiu que os projectos desenvolvidos, com base nas actividades alinhadas ao plano estratégico 2018/2022 da ADRA, beneficiaram produtores agrícolas dos municípios do Bailundo, Caála e Longonjo.

Esses produtores, segundo Cidália Gomes, além das acções de capacitação, foram apoiados com 24 toneladas de "adubo 12/24/12", duas de "adubo simples", bem como de quantidade não especificadas de sementes de feijão e variadas hortícolas, entre outros meios para a prática de agricultura.

Na área da agricultura, destacou ainda a entrega de 60 cabeças de gado caprino a quatro associações e duas cooperativas, visando o fomento da pecuária e o combate à pobreza.

Disse que a ADRA investiu, igualmente, 15 milhões de Kwanzas na criação de seis cooperativas agrícolas e fomento da actividade económica das comunidades, através das caixas comunitárias, que permitiram apoiar 583 produtores dos três municípios.

No domínio da educação ambiental, Cidália Gomes disse terem desenvolvido acções de sensibilização nas comunidades dos municípios em referência, onde quatro mil plantas foram distribuídas para o repovoamento florestal.

Conforme a directora da ADRA – Antena Huambo, estas actividades foram financiadas pela B.P Angola, Solidariedade Prática da Suécia, Pão Para Todos, União Europeia, Exxonmobil, Standard Bank e pela Embaixada Francesa

Para este ano, a responsável informou que a organização pretende investir perto de um milhão de dólares norte-americanos, na continuidade das acções de 2020 e, ao mesmo tempo, reforçar as medidas de biossegurança e segurança nas comunidades, no quadro das medidas de prevenção e combate à Covid-19.

Criada em 1990, a ADRA é uma organização não-governamental vocacionada a promover o desenvolvimento democrático e sustentável, social, económico e ambiental do país, bem como a reconciliação nacional.