Líder parlamentar considera mulher como pilar da sociedade

  • Feira da Saúde
Luanda – O presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, apontou, nesta segunda-feira, a mulher como um dos pilares essenciais da sociedade.

Em mensagem alusiva ao 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, o líder parlamentar diz que com a sua bravura, dedicação, carinho, sabedoria e determinação elas têm sido o alicerce das famílias e contribuído para o progresso da nação.

Por seu turno, a embaixadora de Angola em Cuba, Maria Cândida Pereira Teixeira, destacou o papel das mulheres na luta de libertação e em defesa da pátria e das suas famílias.

Enalteceu o desempenho das mulheres que participam nas principais frentes de combate, tais como hospitais e centros médicos, enfrentando a Covid-19, bem como  aquelas que combatem na primeira linha contra qualquer forma de discriminação e violência.

A propósito da efeméride, a governadora em exercício do Namibe, Carla Maiza Tavares, disse que apesar das conquistas alcançadas a nível da igualdade de género e do seu papel activo na sociedade, muito ainda está por se consolidar.

"Os indicadores da desigualdade entre mulheres e homens, a violência baseada no género - um mal que nos envergonha e que devemos combater todos os dias -, ou a jornada excessiva de trabalho são  alguns exemplos", sustentou.

Destacou ainda a participação activa da mulher no desenvolvimento da sociedade, sublinhando a tendência crescente e cada vez mais expressiva da participação da mulher na condução dos destinos colectivos.

“É justo prestarmos uma homenagem ao papel das mulheres que, nos vários sectores da sociedade, têm sido determinantes na prevenção e combate à pandemia da Covid-19", finalizou.

No Cuanza Norte, a  vice-governadora Leonor da Silva aproveitou a ocasião para exortar as mulheres a apostarem no empreendedorismo, para o desenvolvimento económico das famílias e do pais.

Conforme Leonor da Silva, a mulher, como pilar da família, não deve limitar-se ao trabalho doméstico, mas empreender para auxiliar o companheiro no sustento da família.

Hoje, considerou, face às dificuldades impostas pela Covid-19, muitas mulheres apostam no empreendedorismo como o fabrico de máscaras, ajudando na prevenção de cidadãos de baixa renda e na economia familiar.

Para assinalar a data, a Direcção da Família e Promoção da Mulher realizou uma sessão de ginástica com senhoras, a favor da inclusão de género.

Na província do Uíge, as autoridades aproveitaram a ocasião para oferecer a 49 mulheres rurais do município do Bungo instrumentos agrícolas, entre catanas, enxadas, limas, machados, panos e sementes diversas, para fomentar a actividade agrícola.

A vice-governadora provincial para o sector Político, Económico e Social, Maria Cavumbo, considerou importante a melhoria dos serviços de saúde pública, para reduzir a mortalidade materno-infantil, bem como a implementação dos programas de combate à fome e à pobreza.

A comemoração da data na província do Huambo foi marcada com um culto económico orientado pela pastora Adelaide Tomás, da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA), que apelou às mulheres para serem exemplos de mudança de comportamento na sociedade.

Paralelamente, as mulheres filiadas no Sindicato Nacional de Professores (SINPROF) solicitaram, numa mesa redonda, a melhoria das condições laborais e a actualização salarial, com vista a garantir o poder de compra das famílias.

A exposição de roupas tradicionais africanas, com variadade de modelos, marcou a data na província de Cabinda, numa demonstração do emponderamento da mulher empreendedora e sua contribuição e emancipação nas várias acções em prol do desenvolvimento.

No acto, o vice-governador de Cabinda para área Técnica, Joaquim Maliche, encorajou a mulher a continuar a sua luta pela igualdade e como fortaleza na unificação da família.

No Cuando Cubango, o governador em exercício, Antas Miguel, exortou as mulheres a continuarem a apostar no empreendedorismo, através de acções como a formação em corte e costura, culinária, decoração, fabrico de sabão, parteiras tradicionais.

Garantiu a disponibilidade do governo em apoiar a constituição de cooperativas para o fomento da agricultura familiar, cujos resultados se tornam visíveis com a entrada de alguns produtos do campo nas vilas e cidades do Cuando Cubango, apesar da estiagem em alguns municípios, como Menongue e Cuchi.

A vice-governadora para o sector Técnico e Infra-estruturas, Ângela Diogo, aproveitou a ocasião para dizer que factores históricos e culturais continuam a dificultar as aspirações de  emancipação de muitas mulheres.

Sem fornecer detalhes, sublinhou que tais factores travam também o empoderamento da mulher na região, apelando, por isso, às mulheres locais para vencerem os preconceitos e mostrarem o seu verdadeiro potencial no mercado de trabalho, na política, cultura, economia e noutras esferas.

Já em Malanje, o vice-governador para o sector Político, Social e Económico, Domingos Eduardo, reiterou a necessidade da contínua capacitação académica e técnica das mulheres, visando o seu empoderamento e superação económica.

O responsável incentivou as mulheres a congregarem-se em associações de camponesas e a criarem micro, pequenas e médias empresas, no sentido de concorrerem em pé de igualdade com os homens nos diferentes mecanismos de apoio à produção, com realce para o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

Apontou a discriminação, a desigualdade de oportunidade e a violência, entre outros, como os principais problemas que as mulheres enfrentam e sobre os quais a sociedade deve dar respostas energéticas, a fim de se promover a igualdade entre os géneros.

Na província do Bengo as celebrações foram marcadas pela homenagem, em Caxito, à ciclista Alice Gomes Barradas, de 65 anos de idade, que pedala há 53 anos.

Durante o acto provincial, que teve lugar no município do Bula Atumba, o vice-governador do Bengo para o sector Político, Social e Económico, José Bartolomeu Pedro, reconheceu a importância da mulher na sociedade.

Para o  vice-governador para o sector Político, Social e Económico do Moxico, Victor da Silva, a promoção da igualdade de género contribui significativamente e de forma decisiva para o desenvolvimento social e económico, sobretudo da mulher.

Na Lunda Sul, a directora do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género, Maria Luísa Martins, apelou as mulheres a promoção da paz, democracia, concórdia e união familiar, com vista ao combate da violência doméstica.

A responsável disse ser importante e imperioso que esta franja da sociedade, enquanto gestora e protectora da vida humana, continue a trabalhar na divulgação e promoção dos valores morais e cívicos.

Por outro lado, encorajou as mulheres a continuar a lutar pelos seus direitos, desenvolvendo acções de combate à violência doméstica e de outras actividades em prol da melhoria da saúde e educação, combate à fome e à pobreza.

Em mensagem alusiva ao 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, o líder parlamentar diz que com a sua bravura, dedicação, carinho, sabedoria e determinação elas têm sido o alicerce das famílias e contribuído para o progresso da nação.

Por seu turno, a embaixadora de Angola em Cuba, Maria Cândida Pereira Teixeira, destacou o papel das mulheres na luta de libertação e em defesa da pátria e das suas famílias.

Enalteceu o desempenho das mulheres que participam nas principais frentes de combate, tais como hospitais e centros médicos, enfrentando a Covid-19, bem como  aquelas que combatem na primeira linha contra qualquer forma de discriminação e violência.

A propósito da efeméride, a governadora em exercício do Namibe, Carla Maiza Tavares, disse que apesar das conquistas alcançadas a nível da igualdade de género e do seu papel activo na sociedade, muito ainda está por se consolidar.

"Os indicadores da desigualdade entre mulheres e homens, a violência baseada no género - um mal que nos envergonha e que devemos combater todos os dias -, ou a jornada excessiva de trabalho são  alguns exemplos", sustentou.

Destacou ainda a participação activa da mulher no desenvolvimento da sociedade, sublinhando a tendência crescente e cada vez mais expressiva da participação da mulher na condução dos destinos colectivos.

“É justo prestarmos uma homenagem ao papel das mulheres que, nos vários sectores da sociedade, têm sido determinantes na prevenção e combate à pandemia da Covid-19", finalizou.

No Cuanza Norte, a  vice-governadora Leonor da Silva aproveitou a ocasião para exortar as mulheres a apostarem no empreendedorismo, para o desenvolvimento económico das famílias e do pais.

Conforme Leonor da Silva, a mulher, como pilar da família, não deve limitar-se ao trabalho doméstico, mas empreender para auxiliar o companheiro no sustento da família.

Hoje, considerou, face às dificuldades impostas pela Covid-19, muitas mulheres apostam no empreendedorismo como o fabrico de máscaras, ajudando na prevenção de cidadãos de baixa renda e na economia familiar.

Para assinalar a data, a Direcção da Família e Promoção da Mulher realizou uma sessão de ginástica com senhoras, a favor da inclusão de género.

Na província do Uíge, as autoridades aproveitaram a ocasião para oferecer a 49 mulheres rurais do município do Bungo instrumentos agrícolas, entre catanas, enxadas, limas, machados, panos e sementes diversas, para fomentar a actividade agrícola.

A vice-governadora provincial para o sector Político, Económico e Social, Maria Cavumbo, considerou importante a melhoria dos serviços de saúde pública, para reduzir a mortalidade materno-infantil, bem como a implementação dos programas de combate à fome e à pobreza.

A comemoração da data na província do Huambo foi marcada com um culto económico orientado pela pastora Adelaide Tomás, da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA), que apelou às mulheres para serem exemplos de mudança de comportamento na sociedade.

Paralelamente, as mulheres filiadas no Sindicato Nacional de Professores (SINPROF) solicitaram, numa mesa redonda, a melhoria das condições laborais e a actualização salarial, com vista a garantir o poder de compra das famílias.

A exposição de roupas tradicionais africanas, com variadade de modelos, marcou a data na província de Cabinda, numa demonstração do emponderamento da mulher empreendedora e sua contribuição e emancipação nas várias acções em prol do desenvolvimento.

No acto, o vice-governador de Cabinda para área Técnica, Joaquim Maliche, encorajou a mulher a continuar a sua luta pela igualdade e como fortaleza na unificação da família.

No Cuando Cubango, o governador em exercício, Antas Miguel, exortou as mulheres a continuarem a apostar no empreendedorismo, através de acções como a formação em corte e costura, culinária, decoração, fabrico de sabão, parteiras tradicionais.

Garantiu a disponibilidade do governo em apoiar a constituição de cooperativas para o fomento da agricultura familiar, cujos resultados se tornam visíveis com a entrada de alguns produtos do campo nas vilas e cidades do Cuando Cubango, apesar da estiagem em alguns municípios, como Menongue e Cuchi.

A vice-governadora para o sector Técnico e Infra-estruturas, Ângela Diogo, aproveitou a ocasião para dizer que factores históricos e culturais continuam a dificultar as aspirações de  emancipação de muitas mulheres.

Sem fornecer detalhes, sublinhou que tais factores travam também o empoderamento da mulher na região, apelando, por isso, às mulheres locais para vencerem os preconceitos e mostrarem o seu verdadeiro potencial no mercado de trabalho, na política, cultura, economia e noutras esferas.

Já em Malanje, o vice-governador para o sector Político, Social e Económico, Domingos Eduardo, reiterou a necessidade da contínua capacitação académica e técnica das mulheres, visando o seu empoderamento e superação económica.

O responsável incentivou as mulheres a congregarem-se em associações de camponesas e a criarem micro, pequenas e médias empresas, no sentido de concorrerem em pé de igualdade com os homens nos diferentes mecanismos de apoio à produção, com realce para o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

Apontou a discriminação, a desigualdade de oportunidade e a violência, entre outros, como os principais problemas que as mulheres enfrentam e sobre os quais a sociedade deve dar respostas energéticas, a fim de se promover a igualdade entre os géneros.

Na província do Bengo as celebrações foram marcadas pela homenagem, em Caxito, à ciclista Alice Gomes Barradas, de 65 anos de idade, que pedala há 53 anos.

Durante o acto provincial, que teve lugar no município do Bula Atumba, o vice-governador do Bengo para o sector Político, Social e Económico, José Bartolomeu Pedro, reconheceu a importância da mulher na sociedade.

Para o  vice-governador para o sector Político, Social e Económico do Moxico, Victor da Silva, a promoção da igualdade de género contribui significativamente e de forma decisiva para o desenvolvimento social e económico, sobretudo da mulher.

Na Lunda Sul, a directora do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género, Maria Luísa Martins, apelou as mulheres a promoção da paz, democracia, concórdia e união familiar, com vista ao combate da violência doméstica.

A responsável disse ser importante e imperioso que esta franja da sociedade, enquanto gestora e protectora da vida humana, continue a trabalhar na divulgação e promoção dos valores morais e cívicos.

Por outro lado, encorajou as mulheres a continuar a lutar pelos seus direitos, desenvolvendo acções de combate à violência doméstica e de outras actividades em prol da melhoria da saúde e educação, combate à fome e à pobreza.