Angola suspende entrada de estrangeiros provenientes do Brasil e da Índia

  • Avião da Taag durante o embarque de passageiros
Luanda – O governo angolano anunciou, no sábado, a suspensão, a partir de segunda-feira, 10, da entrada em Angola de cidadãos estrangeiros não residentes provenientes ou com passagens no Brasil e na Índia.

Conforme o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, que falava em conferência de imprensa sobre as novas medidas restritivas para fazer face a prevenção e combate à Covid-19, não abrange os angolanos e cidadãos estrangeiros residentes que devem, no entanto, cumprir uma quarentena obrigatória de sete dias.

Adão de Almeida alertou que se mantém a obrigatoriedade de os viajantes efectuarem os testes antes de embarcarem e depois de desembarcarem em território nacional.

O governante alertou, igualmente, que doravante os cidadãos que prestarem falsas informações no desembarque (dados falsos sobre o local de residência) serão multados.

A aplicação da multa, avançou, visa desencorajar uma prática que se regista no preenchimento da ficha pós-desembarque no aeroporto internacional 4 de Fevereiro.

De acordo com o governante, o país continua sob cerca sanitária.

Conforme o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, que falava em conferência de imprensa sobre as novas medidas restritivas para fazer face a prevenção e combate à Covid-19, não abrange os angolanos e cidadãos estrangeiros residentes que devem, no entanto, cumprir uma quarentena obrigatória de sete dias.

Adão de Almeida alertou que se mantém a obrigatoriedade de os viajantes efectuarem os testes antes de embarcarem e depois de desembarcarem em território nacional.

O governante alertou, igualmente, que doravante os cidadãos que prestarem falsas informações no desembarque (dados falsos sobre o local de residência) serão multados.

A aplicação da multa, avançou, visa desencorajar uma prática que se regista no preenchimento da ficha pós-desembarque no aeroporto internacional 4 de Fevereiro.

De acordo com o governante, o país continua sob cerca sanitária.