ANGOP aposta na diversificação de conteúdos

  • Administrador Executivo para a Área de Conteúdos da Angop, José Chimuco
Luanda- A diversificação de conteúdos informativos, dando espaço ao jornalismo investigativo, que quebre com o recurso apenas a agenda institucional, é uma das apostas da Agência Angola Press-E.P, segundo o administrador para a Área de Conteúdos, José Chimuco.

O responsável, que falava numa das sessões do V Conselho Consultivo da única agência de notícia de Angola, ressaltou que a adequação ao momento actual abre a porta para novos desafios, como a dinamização da produção de conteúdos virados para o mercado, uma opção que se enquadra na perspectiva da geração de receitas próprias.

Conforme o responsável, será de grande valia a produção de conteúdos originários das delegações provinciais da ANGOP.

Para o efeito, adiantou, está em estudo um modelo que proporcione a oportunidade da reinstalação gradual de correspondências municipais, a começar pelos municípios mais populosos e com maior peso económico.

A estratégia, frisou, numa primeira fase, passará, em caso de haver disponibilidade financeira, em reinstalar 66 correspondências municipais, nas 18 províncias.

O V conselho consultivo da ANGOP decorre até quinta-feira e visa balancear a execução do último evento e traçar estratégias para a melhoria da cobertura ao nível dos municípios e comunas, e de cobertura das eleições gerais, previstas para 2022.

O encontro conta com a participação dos membros do Conselho de Administração, delegados provinciais, chefes de departamento e decorre sob o lema “ANGOP no reforço da sua afirmação interna e externa”.

O responsável, que falava numa das sessões do V Conselho Consultivo da única agência de notícia de Angola, ressaltou que a adequação ao momento actual abre a porta para novos desafios, como a dinamização da produção de conteúdos virados para o mercado, uma opção que se enquadra na perspectiva da geração de receitas próprias.

Conforme o responsável, será de grande valia a produção de conteúdos originários das delegações provinciais da ANGOP.

Para o efeito, adiantou, está em estudo um modelo que proporcione a oportunidade da reinstalação gradual de correspondências municipais, a começar pelos municípios mais populosos e com maior peso económico.

A estratégia, frisou, numa primeira fase, passará, em caso de haver disponibilidade financeira, em reinstalar 66 correspondências municipais, nas 18 províncias.

O V conselho consultivo da ANGOP decorre até quinta-feira e visa balancear a execução do último evento e traçar estratégias para a melhoria da cobertura ao nível dos municípios e comunas, e de cobertura das eleições gerais, previstas para 2022.

O encontro conta com a participação dos membros do Conselho de Administração, delegados provinciais, chefes de departamento e decorre sob o lema “ANGOP no reforço da sua afirmação interna e externa”.