ANGOP perde jovem promissor - Vice-presidente do MPLA

  • Jornalista Agostinho Quilemba
Luanda – A Agência Angola Press (ANGOP) perdeu um jovem profissional, promissor, exemplar, afável no trato social e invulgar na simplicidade, considerou hoje a vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, quando reagia à morte do jornalista Agostinho Quilemba, ocorrida na passada terça-feira, em Luanda, por doença.

Numa nota de condolências enviada à ANGOP, a dirigente político recorda o jornalista como um jovem de causas nobres, prestativo, excelente comunicador, que sempre cumpriu com assinalável espírito patriótico e sentido de responsabilidade as distintas missões que lhe foram confiadas.

“Agostinho Quilemba foi um profissional dedicado, que deu o seu contributo ao jornalismo angolano. Notabilizou-se como um exímio editor do Desk de Economia, função que exerceu até altura de sua morte”, realçou.

Luísa Damião, que já foi directora de Informação e, posteriormente, administradora para Informação da ANGOP, diz que vão ficar eternamente as memórias e as infindáveis recordações do seu papel no seio da família, dos amigos, dos colegas, que consigo partilharam a vida inteira um longo percurso desta nobre missão de informar.

“Neste momento de tristeza e consternação inclino-me perante a memória do jornalista Quilemba, como era carinhosamente chamado, e expresso ao colectivo de trabalhadores da ANGOP as mais sentidas condolências”, termina a vice-presidente.

Agostinho Quilemba, licenciado em economia, foi um dos profissionais da nova vaga da Agência, tendo dado início das actividades em 2001.

No âmbito da nova dinâmica da empresa, virada para a melhoria da qualidade dos conteúdos noticiosos, foi nomeado, em 2007, para exercer a função de Subeditor do Desk Económico.

Em 2018, na senda da mesma estratégia editorial, foi nomeado editor do Desk Económico, função que exerceu até à altura da sua morte.

Numa nota de condolências enviada à ANGOP, a dirigente político recorda o jornalista como um jovem de causas nobres, prestativo, excelente comunicador, que sempre cumpriu com assinalável espírito patriótico e sentido de responsabilidade as distintas missões que lhe foram confiadas.

“Agostinho Quilemba foi um profissional dedicado, que deu o seu contributo ao jornalismo angolano. Notabilizou-se como um exímio editor do Desk de Economia, função que exerceu até altura de sua morte”, realçou.

Luísa Damião, que já foi directora de Informação e, posteriormente, administradora para Informação da ANGOP, diz que vão ficar eternamente as memórias e as infindáveis recordações do seu papel no seio da família, dos amigos, dos colegas, que consigo partilharam a vida inteira um longo percurso desta nobre missão de informar.

“Neste momento de tristeza e consternação inclino-me perante a memória do jornalista Quilemba, como era carinhosamente chamado, e expresso ao colectivo de trabalhadores da ANGOP as mais sentidas condolências”, termina a vice-presidente.

Agostinho Quilemba, licenciado em economia, foi um dos profissionais da nova vaga da Agência, tendo dado início das actividades em 2001.

No âmbito da nova dinâmica da empresa, virada para a melhoria da qualidade dos conteúdos noticiosos, foi nomeado, em 2007, para exercer a função de Subeditor do Desk Económico.

Em 2018, na senda da mesma estratégia editorial, foi nomeado editor do Desk Económico, função que exerceu até à altura da sua morte.