Associação de apoio a autistas recebe mais de 200 cestas básicas

Luanda - Mais de 200 cestas básicas foram doadas ao Centro da Associação Angolana de Apoio à Pessoas Autistas e de Transtornos Global de Desenvolvimento (Apegada), numa iniciativa da Associação Angolana de Gestão de Projectos (PMI Angola), em parceria com empresa 5Linhas, S.A., detentora do Sistema de Pagamentos denominado por “AKI”.

A iniciativa surge para colmatar as dificuldades enfrentadas pela Apegada, no âmbito da acção de responsabilidade social da PMI Angola.

Em declarações à ANGOP, a responsável pela área social da PMI Angola, Ana Lukamba, sublinhou que a PMI tem realizado outras actividades como assistência médica e medicamentosa às comunidades mais carentes, distribuição de lavatórios comunitários para ajudar no combate à covid-19.

A responsável disse que desde o início da covid-19 até ao momento, a PMI Angola, doou 500 cestas básicas e distribui 300 lavatórios.

Ana Lukamba disse que a PMI Angola pretende continuar a apoiar a Apegada em função daquilo que são as suas reais dificuldades.

Por seu turno, Élvia de Carvalho considerou que a doação representa a união, colaboração e o amor ao próximo, pelo facto de a doação representar muito para os mais necessitados.

“Porque estamos a viver uma era atípica, com a situação da covid-19 que chega ao país e ninguém está preparado. Temos inúmeras famílias a enfrentar dificuldades, em função pensamos numa forma de colmatar essas dificuldades”, reforçou.

Já o presidente da associação Apegada, António Teixeira, agradeceu o gesto da PMI, que vai ajudar a atender 200 famílias.

O responsável disse que nesta altura, a organização acompanha mil e 200 pessoas entre crianças, jovens e adultos a nível de Luanda.

Defendeu a necessidade de prestarem mais apoio às pessoas com maior deficiência intelectual.

 “São descriminadas, excluídas, a nível da sociedade. Temos realizado vários projectos em prol da melhoria da qualidade de vida destas pessoas. Temos um centro de actividades ocupacionais que acolhe nesta altura, de forma directa, 65 pessoas e outras mais de mil recebem formação e apoio indirecto”, frisou.

Acrescentou que há sete anos que prestam formação, inclusão nas escolas, mercado de trabalho, integração na formação profissional inclusão social.

O PMI Angola, Associação Angolana de Gestão de Projectos, fundada a 30 de Outubro de 2017 é a principal associação profissional de gestores de projectos de Angola. Uma representação em Angola do Project Management Institute - PMI.  

Enquanto associação profissional, tem como principal objectivo promover e disseminar a gestão de projectos em Angola como ciência reconhecidamente autónoma e com um corpo de conhecimentos bem definido e organizado.

 

A iniciativa surge para colmatar as dificuldades enfrentadas pela Apegada, no âmbito da acção de responsabilidade social da PMI Angola.

Em declarações à ANGOP, a responsável pela área social da PMI Angola, Ana Lukamba, sublinhou que a PMI tem realizado outras actividades como assistência médica e medicamentosa às comunidades mais carentes, distribuição de lavatórios comunitários para ajudar no combate à covid-19.

A responsável disse que desde o início da covid-19 até ao momento, a PMI Angola, doou 500 cestas básicas e distribui 300 lavatórios.

Ana Lukamba disse que a PMI Angola pretende continuar a apoiar a Apegada em função daquilo que são as suas reais dificuldades.

Por seu turno, Élvia de Carvalho considerou que a doação representa a união, colaboração e o amor ao próximo, pelo facto de a doação representar muito para os mais necessitados.

“Porque estamos a viver uma era atípica, com a situação da covid-19 que chega ao país e ninguém está preparado. Temos inúmeras famílias a enfrentar dificuldades, em função pensamos numa forma de colmatar essas dificuldades”, reforçou.

Já o presidente da associação Apegada, António Teixeira, agradeceu o gesto da PMI, que vai ajudar a atender 200 famílias.

O responsável disse que nesta altura, a organização acompanha mil e 200 pessoas entre crianças, jovens e adultos a nível de Luanda.

Defendeu a necessidade de prestarem mais apoio às pessoas com maior deficiência intelectual.

 “São descriminadas, excluídas, a nível da sociedade. Temos realizado vários projectos em prol da melhoria da qualidade de vida destas pessoas. Temos um centro de actividades ocupacionais que acolhe nesta altura, de forma directa, 65 pessoas e outras mais de mil recebem formação e apoio indirecto”, frisou.

Acrescentou que há sete anos que prestam formação, inclusão nas escolas, mercado de trabalho, integração na formação profissional inclusão social.

O PMI Angola, Associação Angolana de Gestão de Projectos, fundada a 30 de Outubro de 2017 é a principal associação profissional de gestores de projectos de Angola. Uma representação em Angola do Project Management Institute - PMI.  

Enquanto associação profissional, tem como principal objectivo promover e disseminar a gestão de projectos em Angola como ciência reconhecidamente autónoma e com um corpo de conhecimentos bem definido e organizado.