Comuna da Barra do Dande electrificada

Caxito – Mil 579 famílias da comuna da Barra do Dande estão a consumir energia eléctrica da rede pública, após a inauguração, nesta segunda-feira, da subestação eléctrica.

Com uma potência instalada 20 Mva (16 Megawatts), a subestação conta com 16 Postos de Transformação (PT), dos quais oito são privados.

O investimento de mais de 15 milhões de dólares é uma das apostas da ENDE, segundo o seu administrador executivo, Pedro Buco, para levar a energia eléctrica a um maior número de pessoas e melhorar a prestação da empresa de distribuição de energia.

Salientou que a comuna da Barra do Dande precisa de mais consumidores para absorver a carga disponível, pois dos 16 Megawatts da potência instalada estão a ser consumidos apenas cinco Mw.

Pedro Buco apelou ao pagamento do consumo, sobretudo os clientes do sistema pós-pago, pois são essas receitas que vão gerar investimentos para outros locais.

Por sua vez, a governadora do Bengo, Mara Quiosa, considera um ganho imensurável, visto ser uma localidade com muitas indústrias.

Na sua visão, com a energia eléctrica pode-se atrair mais investimentos e com isso aumentar a oferta de emprego e a arrecadação de receitas.

"Continuar a encorajar o sector da energia e águas para que outros investimentos sejam feitos", reforçou.

Na província do Bengo apenas o município do Ambriz e parte do município do Dande (Caxito, Mabubas, Barra do Dande e Panguila) beneficiam de energia eléctrica da rede pública.

Os demais dependem de grupo geradores.

A província do Bengo possui a barragem hidroeléctrica das Mabubas que produz 25.6 Megawatts de energia.

Recebe ainda energia do ciclo combinado do Soyo, na vizinha província do Zaire, que alimenta a subestação eléctrica com uma potência instalada de 10 MVA e tensão de 60/30 KVA no município do Ambriz.

 

Com uma potência instalada 20 Mva (16 Megawatts), a subestação conta com 16 Postos de Transformação (PT), dos quais oito são privados.

O investimento de mais de 15 milhões de dólares é uma das apostas da ENDE, segundo o seu administrador executivo, Pedro Buco, para levar a energia eléctrica a um maior número de pessoas e melhorar a prestação da empresa de distribuição de energia.

Salientou que a comuna da Barra do Dande precisa de mais consumidores para absorver a carga disponível, pois dos 16 Megawatts da potência instalada estão a ser consumidos apenas cinco Mw.

Pedro Buco apelou ao pagamento do consumo, sobretudo os clientes do sistema pós-pago, pois são essas receitas que vão gerar investimentos para outros locais.

Por sua vez, a governadora do Bengo, Mara Quiosa, considera um ganho imensurável, visto ser uma localidade com muitas indústrias.

Na sua visão, com a energia eléctrica pode-se atrair mais investimentos e com isso aumentar a oferta de emprego e a arrecadação de receitas.

"Continuar a encorajar o sector da energia e águas para que outros investimentos sejam feitos", reforçou.

Na província do Bengo apenas o município do Ambriz e parte do município do Dande (Caxito, Mabubas, Barra do Dande e Panguila) beneficiam de energia eléctrica da rede pública.

Os demais dependem de grupo geradores.

A província do Bengo possui a barragem hidroeléctrica das Mabubas que produz 25.6 Megawatts de energia.

Recebe ainda energia do ciclo combinado do Soyo, na vizinha província do Zaire, que alimenta a subestação eléctrica com uma potência instalada de 10 MVA e tensão de 60/30 KVA no município do Ambriz.