EPAS deve mais de 20 milhões de Kwanzas a trabalhadores

Caxito – A Empresa de Águas e Saneamento do Bengo (EPAS) deve a 26 trabalhadores, cerca de 10 milhões e 600 mil Kwanzas, correspondentes a seis meses de salário de 2020, devido a baixa produtividade da instituição.

Neste âmbito a empresa rescindiu o contrato com estes funcionários e vai pagar as indemnizações em seis prestações, a partir do final deste mês.

Os  mesmos vão receber de acordo com o tempo de trabalho de cada um, num valor que inclui o subsídio de férias e o décimo terceiro.

O administrador para a área financeira da empresa, Napoleão dos Santos, informou que estes estão inseridos numa base de dados e a medida que a situação da empresa for melhorando poderão voltar a ser enquadrados.

Para além desta dívida, a EPAS deve aproximadamente (salários em atraso) cerca de 10 milhões de Kwanzas aos 36 funcionários que permanecem na empresa, cuja divida só será paga logo que forem liquidadas as indemnizações.

Neste momento a empresa não está em condições de pagar qualquer valor de uma só vez, pois os custos operacionais não cobrem as receitas, disse.

Entretanto, a EPAS/Bengo prevê melhores dias, com a entrega nos próximos tempos dos sistemas de água do Panguila e do Capari para a sua responsabilidade.

Neste momento a divida dos clientes com a EPAS está estimada em cerca de 16 milhões de Kwanzas.

A EPAS/Bengo  tem um total de quatro mil e 500 ligações  e receitas  que variam entre seis a sete milhões de Kwanzas/mês.

 

 

 

Neste âmbito a empresa rescindiu o contrato com estes funcionários e vai pagar as indemnizações em seis prestações, a partir do final deste mês.

Os  mesmos vão receber de acordo com o tempo de trabalho de cada um, num valor que inclui o subsídio de férias e o décimo terceiro.

O administrador para a área financeira da empresa, Napoleão dos Santos, informou que estes estão inseridos numa base de dados e a medida que a situação da empresa for melhorando poderão voltar a ser enquadrados.

Para além desta dívida, a EPAS deve aproximadamente (salários em atraso) cerca de 10 milhões de Kwanzas aos 36 funcionários que permanecem na empresa, cuja divida só será paga logo que forem liquidadas as indemnizações.

Neste momento a empresa não está em condições de pagar qualquer valor de uma só vez, pois os custos operacionais não cobrem as receitas, disse.

Entretanto, a EPAS/Bengo prevê melhores dias, com a entrega nos próximos tempos dos sistemas de água do Panguila e do Capari para a sua responsabilidade.

Neste momento a divida dos clientes com a EPAS está estimada em cerca de 16 milhões de Kwanzas.

A EPAS/Bengo  tem um total de quatro mil e 500 ligações  e receitas  que variam entre seis a sete milhões de Kwanzas/mês.