MPLA aborda emprego e empreendedorismo no Bengo

Caxito – O Gabinete para Cidadania e Sociedade Civil do Comité Central do MPLA promove, desde quarta-feira, na província do Bengo, um ciclo de workshop sobre o emprego, empreendedorismo e responsabilidade social.

A iniciativa visa juntar os principais actores do mercado do emprego e estimular a cultura do empreendedorismo e da responsabilidade social corporativa das empresas no apoio à diversificação da economia e a empregabilidade, bem como a articulação de acções de solidariedade social e apoio humanitário.

Focalizado em três grupos-alvo fundamentais: jovens e mulheres em situação de desemprego, igrejas e organizações da sociedade civil e autoridades tradicionais na consciencialização das comunidades.

No acto de lançamento, a directora do Gabinete para Cidadania e Sociedade Civil do Comité Central do MPLA, Fátima Viegas, considerou ser necessário estimular e chamar atenção das empresas, no âmbito das suas responsabilidades social, para que sejam a mola impulsionadora para o emprego.

Por seu turno, o vice-governador do Bengo, para sector político, social e económico, José Bartolomeu Pedro, disse que durante o primeiro trimestre do ano em curso foram inscritos 389 pedidos de emprego, com uma faixa etária de 21 a 25 anos de idade.

O projecto será realizado em todas províncias no ano em curso, sendo que depois do Bengo seguirão para as províncias do Uige, Malanje e Cuanza Norte.

 

 

 

 

 

 

 

 

A iniciativa visa juntar os principais actores do mercado do emprego e estimular a cultura do empreendedorismo e da responsabilidade social corporativa das empresas no apoio à diversificação da economia e a empregabilidade, bem como a articulação de acções de solidariedade social e apoio humanitário.

Focalizado em três grupos-alvo fundamentais: jovens e mulheres em situação de desemprego, igrejas e organizações da sociedade civil e autoridades tradicionais na consciencialização das comunidades.

No acto de lançamento, a directora do Gabinete para Cidadania e Sociedade Civil do Comité Central do MPLA, Fátima Viegas, considerou ser necessário estimular e chamar atenção das empresas, no âmbito das suas responsabilidades social, para que sejam a mola impulsionadora para o emprego.

Por seu turno, o vice-governador do Bengo, para sector político, social e económico, José Bartolomeu Pedro, disse que durante o primeiro trimestre do ano em curso foram inscritos 389 pedidos de emprego, com uma faixa etária de 21 a 25 anos de idade.

O projecto será realizado em todas províncias no ano em curso, sendo que depois do Bengo seguirão para as províncias do Uige, Malanje e Cuanza Norte.