Comités Municipais dos Direitos Humanos recebem 20 reclamações

Caxito – Vinte reclamações relacionadas com conflito de terras, fuga à paternidade e atraso do pagamento de salário foram recebidas desde Novembro até a presente data, pelos Comités Municipais dos Direitos Humanos na província do Bengo.

Criados em 2020 para dar solução às reclamações dos cidadãos, os Comités Municipais dos Direitos Humanos primam pelo aconselhamento e encaminhamento para as entidades competentes para o devido tratamento das questões.

Em declarações à ANGOP, o chefe do Departamento de Administração da Justiça e Direitos Humanos e Cidadania, da Delegação da Justiça, Ventura António Nanyama, adiantou que os comités jogam um papel de intermediário entre a administração local e a sociedade civil na resolução dos conflitos.

Pretende-se com a criação dos Comités Municipais dos Direitos Humanos criar mudanças no comportamento do cidadão para que denunciem situações ilegais e irregularidades nos seus municípios, sobretudo aquelas em que intervêm gestores públicos.

Afirmou que a província conta com seis Comités Municipais dos Direitos Humanos, criados em 2020, mas apenas três estão a funcionar em pleno nos municípios do Bula Atumba, Dande, Pango Aluquém, faltando do Nambuangongo, Ambriz Dembos.

 

Criados em 2020 para dar solução às reclamações dos cidadãos, os Comités Municipais dos Direitos Humanos primam pelo aconselhamento e encaminhamento para as entidades competentes para o devido tratamento das questões.

Em declarações à ANGOP, o chefe do Departamento de Administração da Justiça e Direitos Humanos e Cidadania, da Delegação da Justiça, Ventura António Nanyama, adiantou que os comités jogam um papel de intermediário entre a administração local e a sociedade civil na resolução dos conflitos.

Pretende-se com a criação dos Comités Municipais dos Direitos Humanos criar mudanças no comportamento do cidadão para que denunciem situações ilegais e irregularidades nos seus municípios, sobretudo aquelas em que intervêm gestores públicos.

Afirmou que a província conta com seis Comités Municipais dos Direitos Humanos, criados em 2020, mas apenas três estão a funcionar em pleno nos municípios do Bula Atumba, Dande, Pango Aluquém, faltando do Nambuangongo, Ambriz Dembos.