Governo reitera rigor no ensino superior no Bié

  • Largo do Governo Provincial do Bié, no município do Cuito
Cuito - As instituições de ensino superior no Bié devem continuar a se pautar pelo rigor na formação para se ter quadros com qualidade que satisfação o mercado de trabalho, reiterou hoje, quarta-feira, no Cuito (Bié), o vice-governador para a área Técnica e Infra-estruturas, José Fernando Tchatuvela.

José Tchatuvela, que falava em representação do governador provincial, na cerimónia que marcou o Iº aniversário do Instituto Superior Politécnico Ndunduma (ISPN), de iniciativa privada, disse que o Governo provincial encorajar as instituições de ensino superior, quer públicas quer privadas, a formar quadros que possam contribuir no desenvolvimento socioeconómico do Bié e enfrentar os desafios do futuro com optimismo.

Para o responsável, o surgimento do ISPN no mercado constitui a prova da comparticipação no ensino entre as instituições públicas e o sector privado, com o aumento da oferta e extensão das áreas de saber, inserido no âmbito do plano nacional de formação de quadros.

O director-geral do Instituto Superior Politécnico Ndunduma (ISPN) no Bié, António Eduardo, disse que frequentam as aulas neste ano lectivo 1.154 estudantes, distribuídos nos cursos de Licenciatura do Ensino Pré-escolar, Direiro, Gestão de Empresas, Psicologia Clínica, Engenharia Agronómica e Informática.

As aulas são asseguradas por 56 docentes.

Durante o evento, foram ministradas palestras com os temas “Instituições de Ensino Superior e o Desenvolvimento de Angola”, “A cultura Universitária como pressuposto para a excelência e transformação” e “Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Universitário”.

No âmbito da responsabilidade social da instituição, foram entregues, na ocasião 100, cestas básicas às mulheres zungueiras e outras pessoas desfavorecidas.

 A província do Bié conta até ao momento com quatro instituições do ensino superior, nomeadamente a Escola Superior Pedagógica e Escola Superior Politécnica (públicas), bem como duas privadas, o Instituto Superior Politécnico do Cuito e o Instituto Superior Politécnico “Ndunduma”.

 

José Tchatuvela, que falava em representação do governador provincial, na cerimónia que marcou o Iº aniversário do Instituto Superior Politécnico Ndunduma (ISPN), de iniciativa privada, disse que o Governo provincial encorajar as instituições de ensino superior, quer públicas quer privadas, a formar quadros que possam contribuir no desenvolvimento socioeconómico do Bié e enfrentar os desafios do futuro com optimismo.

Para o responsável, o surgimento do ISPN no mercado constitui a prova da comparticipação no ensino entre as instituições públicas e o sector privado, com o aumento da oferta e extensão das áreas de saber, inserido no âmbito do plano nacional de formação de quadros.

O director-geral do Instituto Superior Politécnico Ndunduma (ISPN) no Bié, António Eduardo, disse que frequentam as aulas neste ano lectivo 1.154 estudantes, distribuídos nos cursos de Licenciatura do Ensino Pré-escolar, Direiro, Gestão de Empresas, Psicologia Clínica, Engenharia Agronómica e Informática.

As aulas são asseguradas por 56 docentes.

Durante o evento, foram ministradas palestras com os temas “Instituições de Ensino Superior e o Desenvolvimento de Angola”, “A cultura Universitária como pressuposto para a excelência e transformação” e “Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Universitário”.

No âmbito da responsabilidade social da instituição, foram entregues, na ocasião 100, cestas básicas às mulheres zungueiras e outras pessoas desfavorecidas.

 A província do Bié conta até ao momento com quatro instituições do ensino superior, nomeadamente a Escola Superior Pedagógica e Escola Superior Politécnica (públicas), bem como duas privadas, o Instituto Superior Politécnico do Cuito e o Instituto Superior Politécnico “Ndunduma”.