BM financia alargamento da rede de distribuição de água no Chitato

  • Cunene: Empresa de água e saneamento
Dundo – Cento e cinquenta quilómetros de rede de distribuição de água potável começaram a ser construídos nesta segunda-feira, no município de Chitato, província da Lunda Norte, com financiamento do Banco Mundial (BM).

A empreitada, orçada em mais de 12 milhões de Dólares americanos, terá a duração de 24 meses e vai permitir 15 mil novas ligações domiciliares nos bairros Samacaca, Satxindongo, Kamaquenzo, Estufa, Taxa Barragem, Bairro Norte, Caxinde e no centro urbano da cidade.

De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas e Saneamento, André Camilo, o projecto vai dinamizar a distribuição de água em Chitato, reforçando os níveis de facturação da empresa.

O projecto garantiu 60 empregos directos e indirectos aos jovens locais, número que poderá aumentar com a evolução da empreitada.

O governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, apelou aos empreiteiros o cumprimento rigoroso dos prazos estabelecidos,  tendo em conta a escassez de água nos bairros.

A província conta com dois sistemas de tratamento e distribuição de água, com 200 e 560 metros cúbicos, respectivamente, bem como um reservatório de cinco mil metros cúbicos, para atender mais de 10 mil clientes.

A Empresa Pública de Águas e Saneamento na Lunda Norte tem 15 mil clientes, 3 mil 856 dos quais na Centralidade do Mussungue. Estão disponíveis dois sistemas de captação, tratamento e distribuição de água.

A empreitada, orçada em mais de 12 milhões de Dólares americanos, terá a duração de 24 meses e vai permitir 15 mil novas ligações domiciliares nos bairros Samacaca, Satxindongo, Kamaquenzo, Estufa, Taxa Barragem, Bairro Norte, Caxinde e no centro urbano da cidade.

De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas e Saneamento, André Camilo, o projecto vai dinamizar a distribuição de água em Chitato, reforçando os níveis de facturação da empresa.

O projecto garantiu 60 empregos directos e indirectos aos jovens locais, número que poderá aumentar com a evolução da empreitada.

O governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, apelou aos empreiteiros o cumprimento rigoroso dos prazos estabelecidos,  tendo em conta a escassez de água nos bairros.

A província conta com dois sistemas de tratamento e distribuição de água, com 200 e 560 metros cúbicos, respectivamente, bem como um reservatório de cinco mil metros cúbicos, para atender mais de 10 mil clientes.

A Empresa Pública de Águas e Saneamento na Lunda Norte tem 15 mil clientes, 3 mil 856 dos quais na Centralidade do Mussungue. Estão disponíveis dois sistemas de captação, tratamento e distribuição de água.