Cabinda beneficia de internet por cabo de fibra óptica terrestre

  • Ministro Manuel Homem
Cabinda - A província de Cabinda ganhou, nesta sábado, um sistema de ligação de cabo de fibra óptica terrestre.

O sistema de comunicação via internet, com maior qualidade entre a região e o resto do país, abrange também as zonas fronteiriças da vizinha Republica Democrática do Congo (RDC).

Trata-se de uma linha de cerca de 800 quilómetros, que liga a província de Cabinda ao resto do país e regiões fronteiriças, num traçado de fibra óptica de Luanda para o Noqui (Zaire), em parceria com a RNT-RDC, passando pela cidade e vilas congolesas de Matadi, Boma e Muanda, em parceria com a empresa Liquid Telecom, que opera neste país vizinho.

Conforme o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, o Executivo tem investido na melhoria das comunicações no país, com planos de implementação da rede de banda larga.

Manuel Homem referiu que este projecto vai trazer para Cabinda uma mudança significativa no panorama das comunicações electrónicas, integrando a província a rede nacional em banda larga, com infra-estruturas físicas que ligam este ponto ao resto do país.

“Operadores nacionais e estrangeiros ligados ao sector das telecomunicações, assim como empresas dos ramos de desenvolvimento económico, do sector petrolífero, entre outros, passam doravante a contar com esta infra-estrutura que assegura maior qualidade do serviço”, salientou.

Por seu turno, o presidente do Conselho de Administração da Angola Telecom, Adilson Santos, garantiu que a entrada em funcionamento da rede de fibra óptica permitirá a melhoria dos serviços de internet e de serviços de banda larga.

 

O sistema de comunicação via internet, com maior qualidade entre a região e o resto do país, abrange também as zonas fronteiriças da vizinha Republica Democrática do Congo (RDC).

Trata-se de uma linha de cerca de 800 quilómetros, que liga a província de Cabinda ao resto do país e regiões fronteiriças, num traçado de fibra óptica de Luanda para o Noqui (Zaire), em parceria com a RNT-RDC, passando pela cidade e vilas congolesas de Matadi, Boma e Muanda, em parceria com a empresa Liquid Telecom, que opera neste país vizinho.

Conforme o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, o Executivo tem investido na melhoria das comunicações no país, com planos de implementação da rede de banda larga.

Manuel Homem referiu que este projecto vai trazer para Cabinda uma mudança significativa no panorama das comunicações electrónicas, integrando a província a rede nacional em banda larga, com infra-estruturas físicas que ligam este ponto ao resto do país.

“Operadores nacionais e estrangeiros ligados ao sector das telecomunicações, assim como empresas dos ramos de desenvolvimento económico, do sector petrolífero, entre outros, passam doravante a contar com esta infra-estrutura que assegura maior qualidade do serviço”, salientou.

Por seu turno, o presidente do Conselho de Administração da Angola Telecom, Adilson Santos, garantiu que a entrada em funcionamento da rede de fibra óptica permitirá a melhoria dos serviços de internet e de serviços de banda larga.