Comandante da Polícia em Cabinda quer combate cerrado ao crime violento

  • Comissário Eusébio Domingos e Costa Cdte da Polícia Nacional em Cabinda
Cabinda – O comandante da polícia nacional em Cabinda, Eusébio Domingos e Costa, pediu, nesta quinta-feira, o reforço das medidas preventivas e de combate ao crime violento.

Eusébio Domingos e Costa referiu que o assassinato de um empresário, na sua residência, na zona de Chimindelo, bem como os roubos de viaturas traficadas para a República Democrática do Congo (RDC) seguidos de assassinatos, deixa a população triste, obrigando os efectivos da corporação a redobrar as medidas.

O também delegado do Minint em Cabinda falava a imprensa no final da visita do governador de Cabinda, Marcos Nhunga, que visou avaliar o estado das infra-estruturas de acomodação dos efetivos da polícia nacional no município sede.

O oficial ressaltou que a acção da polícia deve, igualmentye, estar virada à imigração ilegal e ao trafego ilícito de combustíveis.

Por seu turno, o governador de Cabinda, Marcos Nhunga, referiu que, da constatação feita as infra-estruturas de acomodação da polícia, bem como do SIC e da Polícia de Guarda Fronteira, ressalta a necessidade da melhoria das  condições de trabalho e de acomodação.

O governante manifestou-se satisfeito pelas acções operativas levadas a cabo pelos órgãos do Minint na região, que têm resultado no desmantelamento de grupos de marginais altamente perigosos, redes de contrabandistas de combustíveis e as ligadas com o auxílio e promoção a imigração ilegal ao longo das fronteiras com os países vizinhos.

Durnte a jornada de campo, o governador visitou as obras da construção dos 200 focos habitacionais para os efetivos da polícia, na localidade de Chiazi, as futuras instalações do SIC, no Cabassango, a 1ª Unidade da Policia de Guarda de Fronteira, no Ntó, o Centro de saúde da polícia, no MBaca/Povo Grande, e o destacamento, na zona de Luvassa Sul.

 

 

Eusébio Domingos e Costa referiu que o assassinato de um empresário, na sua residência, na zona de Chimindelo, bem como os roubos de viaturas traficadas para a República Democrática do Congo (RDC) seguidos de assassinatos, deixa a população triste, obrigando os efectivos da corporação a redobrar as medidas.

O também delegado do Minint em Cabinda falava a imprensa no final da visita do governador de Cabinda, Marcos Nhunga, que visou avaliar o estado das infra-estruturas de acomodação dos efetivos da polícia nacional no município sede.

O oficial ressaltou que a acção da polícia deve, igualmentye, estar virada à imigração ilegal e ao trafego ilícito de combustíveis.

Por seu turno, o governador de Cabinda, Marcos Nhunga, referiu que, da constatação feita as infra-estruturas de acomodação da polícia, bem como do SIC e da Polícia de Guarda Fronteira, ressalta a necessidade da melhoria das  condições de trabalho e de acomodação.

O governante manifestou-se satisfeito pelas acções operativas levadas a cabo pelos órgãos do Minint na região, que têm resultado no desmantelamento de grupos de marginais altamente perigosos, redes de contrabandistas de combustíveis e as ligadas com o auxílio e promoção a imigração ilegal ao longo das fronteiras com os países vizinhos.

Durnte a jornada de campo, o governador visitou as obras da construção dos 200 focos habitacionais para os efetivos da polícia, na localidade de Chiazi, as futuras instalações do SIC, no Cabassango, a 1ª Unidade da Policia de Guarda de Fronteira, no Ntó, o Centro de saúde da polícia, no MBaca/Povo Grande, e o destacamento, na zona de Luvassa Sul.